30 Jun, 2021

Subnutrição durante a gravidez influencia o desenvolvimento de doenças cardíacas nos filhos

Conclusões do estudo confirmam a influência da nutrição materna na formação do feto e na probabilidade de desenvolvimento de patologias cardiovasculares a longo prazo.

A subnutrição durante a gravidez impacta significativamente o desenvolvimento do coração do feto, o que pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares a longo prazo, revela um estudo realizado por uma equipa de investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade Coimbra (CNC-UC).

A investigação já publicada na revista científica Clinical Science, que faz parte de um projeto que também envolveu a Universidade do Porto e as Universidades do Wyoming e do Texas Health Science Center, dos Estados Unidos, procurou avaliar de que modo a nutrição materna pode provocar alterações na formação das mitocôndrias presentes no coração dos fetos.

De acordo com a análise realizada com recurso a um modelo animal, “uma redução moderada de 30% na quantidade de alimento fornecida às mães durante a gravidez produz alterações profundas na função das mitocôndrias cardíacas dos bebés”. Segundo explicam em comunicado, estas alterações na alimentação influenciam a produção de energia por parte destes organelos e a forma como estes “participam em várias funções celulares indispensáveis”.

Tal como salienta a primeira autora do artigo, Luísa Pereira, esta investigação permite “estabelecer uma relação de causa entre a alimentação das mães durante a gravidez e a função cardíaca dos descendentes”. Através destes resultados, a especialista revela que se torna “essencial definir qual a alimentação ideal durante a gravidez”, de modo a ser possível potenciar a manutenção da saúde dos seus descendentes.

O também autor do estudo que revelou que este efeito da subnutrição é mais acentuado no coração dos fetos do sexo masculino, Paulo Pereira, reforça a influência da má alimentação materna na promoção de “alterações que poderão explicar a maior suscetibilidade a doenças hepáticas, renais ou cardíacas observadas em filhos de mães sobre ou subnutridas durante a gravidez”.

Conheça o artigo na íntegra aqui.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais