16 Ago, 2022

Sindicato Independente dos Médicos critica estudo do Governo sobre mortalidade

Para o Sindicato, o Governo não está "a reforçar" as condições de trabalho das instituições públicas que têm competências para esse tipo de avaliação.

Há 100 anos que não se registavam mais de 10 mil mortes por mês, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) recolhidos pelo jornal Expresso. Face à situação, o Governo anunciou que irá avançar com um “estudo aprofundado”.

Mas para o Sindicato Independente dos Médicos (SIM), “não deveria ser necessário pedir ou anunciar nada”, já que quem tem competências para essa avaliação é a Direção-Geral da Saúde e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

“O anúncio deste estudo específico demonstra que também estes serviços estão depauperados e sem capacidade de cumprir em tempo adequado as tarefas que lhes estão atribuídas”, lê-se no comunicado do SIM.

Para o sindicato, “em vez de reforçar as instituições públicas que têm as responsabilidades técnicas”, o Governo vai nomear “pessoas e comissões ad-hoc para dar resposta ao que surge na comunicação social”. Em suma, veem esta medida como “ausência de visão e planeamento”.

Quanto às causas do “excesso de mortalidade”, o SIM acredita que estão relacionadas com a pandemia de covid-19, com as ondas de calor e com as “situações de carácter estrutural” do Serviço Nacional de Saúde.

SO/COMUNICADO

 

Notícia relacionada

Estatuto do SNS não era necessário para ultrapassar problemas com décadas, diz o SIM

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais