4 Jun, 2018

SIM acusa Agência Lusa de não respeitar liberdade de expressão

Em causa está um pedido do SIM para a compra de uma fotografia para uso temporário, em que estão dois membros do atual governo. Perante o contacto do sindicato, a Agência Lusa terá respondido que, antes de ceder os direitos de autor da referida foto, teria de obter "aconselhamento jurídico". Depois, acabou por negar o acesso à referida foto.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) acusa, em comunicado, a Agência Lusa de cometer um atentado à liberdade de expressão por esta ter colocado obstáculos à venda dos direitos de autor de uma fotografia.

Em causa está um pedido do SIM para a compra de uma fotografia para uso temporário, em que estão dois membros do atual governo. Perante o contacto do sindicato, a Agência Lusa terá respondido que, antes de ceder os direitos de autor da referida foto, teria de obter “aconselhamento jurídico”.

A princípio o SIM “estranhou” a resposta ,mas ficou “estupefacto” com a decisão final da Lusa. A agência refere que só com o “consentimento dos retratados, nomeadamente dos herdeiros do Dr. António Arnaut” (que aparentemente também aparecerá na fotografia), poderá ceder os direitos de autor da imagem.

“Mais informamos que, lamentavelmente, a Lusa não dispõe de meios técnicos e humanos que nos permitam a recolha destas autorizações. Desta forma, caso recolham as devidas autorizações, a Lusa poderá reavaliar e cotar a venda da fotografia”, prossegue a Lusa.

Em comunicado, o SIM garante que uso da foto visa unicamente as “personagens governativas” e não o Dr. António Arnault, que faleceu há cerca de duas semanas. O sindicato liderado por Jorge Roque da Cunha, que este ano já tinha recorrido a uma foto da Agência Lusa para colocar um cartaz em Lisboa em que estava retratado o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, garante que contestou a decisão junto do presidente da Lusa mas que ainda não obteve resposta.

Saúde Online / Comunicado

ler mais

RECENTES

ler mais