13 Mai, 2020

Quatro mil cirurgias oncológicas terão ficado por fazer devido à pandemia

Estimativa é avançada por João Dinis, diretor do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas, que faz ainda um apelo aos doentes oncológicos com cirurgias marcadas.

O número de cirurgias que os hospitais e IPO colocaram em listas de espera, devido à pandemia da Covid-19, é de cerca de 4.000, uma estimativa feita pelo diretor do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas.

“No primeiro semestre de 2019 foram feitas 26.500 cirurgias oncológicas a nível nacional. Se pararmos parado mês e meio, podíamos dizer que temos à volta de 6.500, no entanto não pararam todos os hospitais, os IPO recuperaram mais cedo, por isso o Programa Nacional para as Doenças oncológicas acredita que a repercussão sobre as cirurgias foi à volta de 4 mil.”

José Dinis garante que os IPO estão a trabalhar a 110 por cento para resolver as listas de espera para cirurgia, e faz um apelo aos doentes oncológicos.

“Houve vários casos (de doentes) que estavam à espera de cirurgia em finais de fevereiro, e que a cirurgia foi adiada, que foram contactados para comparecerem nos hospitais para serem tratados, e os doentes recusaram.”, diz José Dinis à Antena 1.

O diretor do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas diz que este tipo de situação é  “grave” e que os médicos apelam aos doentes para que estes “não neguem a cirurgia, porque o não fazer a cirurgia é muito pior que o risco de apanhar Covid-19.”

SO/RTP

 

[box] Notícias Relacionadas:

Doentes oncológicos nos Açores sem data para retomarem consultas e cirurgias

O responsável da Autoridade de Saúde Regional admite que há doentes oncológicos à espera devido à pandemia da covid-19.

Centro Hospitalar do Oeste retoma consultas e cirurgias programadas

Centro Hospitalar retoma também sessões de hospital de dia e exames de diagnóstico e de terapêutica, que estavam suspensos desde 16 de março.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais