12 Jun, 2024

Quase 5.000 cirurgias oncológicas que estavam à espera agendadas até 30 de abril

O Serviço Nacional de Saúde agendou até 30 abril quase 5.000 cirurgias oncológicas que estavam em lista de espera, mais de 1.300 das quais já tinham ultrapassado os tempos máximos recomendados, anunciou a ministra da Saúde.

Ana Paula Martins disse que as cirurgias oncológicas “têm efetivamente prioridade” e revelou que, desde abril, foram realizadas 7.897 cirurgias da lista de espera de Oncologia (dentro e fora dos tempos recomendados). A ministra está, hoje, a ser ouvida sobre o Plano de Emergência e Transformação da Saúde,

Já quanto aos doentes oncológicos que aguardavam cirurgia já fora do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG), a ministra disse que desde 18 de maio foram realizadas 2.306 cirurgias. “A prioridade no futuro não é resolver estas listas e passar a ter outras”, afirmou Ana Paula Martins, explicando que os incentivos para estas cirurgias servem exatamente para deixar de ter doentes oncológicos em listas de espera para cirurgias.

Segundo disse, até 30 de abril foram agendadas 4.959 cirurgias oncológicas, das quais 1.364 já estavam acima do TMRG.

A governante confirmou o envio de um e-mail às unidades de saúde para que agendassem até 14 de junho, “até ao limite da capacidade”, todos os doentes da sua lista de espera que estivessem acima dos TMRG, para que sejam operados até 31 de agosto. “A unidade de gestão acesso contactou todas as unidades para reforçar a necessidade de fazer todos os agendamentos. Os doentes não agendados serão considerados transferíveis e o processo de transferência inicia-se a 17 junho. Se o hospital não consegue responder, terá de ser um hospital na área de residência preferencialmente”, explicou.

LUSA

Notícia relacionada

Plano para a Saúde com 54 medidas urgentes, prioritárias e estruturais

Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais
Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais