Portugal assina declaração tripartida para reforçar investigação sobre cancro

14 Out, 2020

Ministro da Ciência adianta que objetivo é ter 75% dos doentes com cancro a viver pelo menos mais 10 anos com qualidade de vida aceitável. Acordo foi assinado entre Portugal, Alemanha e Eslovénia.

Portugal está empenhado no reforço da investigação europeia para que três em cada quatro doentes com cancro possam ter uma perspetiva de vida longa com qualidade em 2030, disse nesta terça-feira à agência Lusa o ministro da Ciência.

Portugal, Alemanha e Eslovénia assinaram uma declaração que visa fortalecer a investigação na Europa sobre todas as etapas do cancro, desde a prevenção, ao diagnóstico e tratamento, dado o desafio que o cancro representa para a medicina moderna e para as sociedades em geral.

Em termos médicos, o que queremos é que 75% dos doentes possa viver pelo menos mais 10 anos, com uma qualidade de vida aceitável”, frisou Manuel Heitor, após uma conferência online nesta terça-feira para a adoção deste documento.

Perante os números médios que apontam para a morte de metade dos doentes com cancro, existindo grandes desigualdade entre os países, em função da qualidade de vida e riqueza de cada Estado, o ministro da Ciência sublinhou que esta é uma das prioridades também da presidência portuguesa da União Europeia, que decorrerá entre janeiro e junho de 2021.

Contudo, para atingir esse objetivo, é necessária “mais investigação”, esclarece o responsável.

Além disso, “é preciso melhorar a relação entre a comunidade científica e o doente”, defendeu Manuel Heitor, indicando que serão envolvidos no processo de prevenção da doença epidemiologistas, economistas e sociólogos, entre outros especialistas. Para o ministro, é importante reforçar as declarações europeias e esta é “um apelo” para o envolvimento de todos os profissionais na luta contra o cancro.

Inserido no planeamento em curso sobre o futuro programa quadro europeu de investigação ‘Horizonte Europa, 2021-27’, que incluirá uma “Missão de Investigação e Inovação em Cancro”, para fortalecer a investigação na Europa sobre todas as etapas da doença, o documento foi assinado por Manuel Heitor por parte de Portugal, por Anja Karliczek, ministra alemã da Educação e Investigação e por Simona Kustec, ministra da Educação, Ciência e Desporto da Eslovénia.

Na primeira semana de maio, no Porto, irá realizar-se outra conferência para reforçar este compromisso, adiantou o ministro.

Lusa/SO

ler mais

RECENTES

ler mais