17 Dez, 2020

Pfizer. Quebra de 20% na produção vai prolongar primeira fase de vacinação

Pfizer enfrenta problemas na produção e vai entregar menos doses do que o esperado. Assim, grupos prioritários só deverão estar totalmente vacinados em abril.

É uma má notícia para o processo de vacinação a nível mundial. A parceria entre a Pfizer e a BioNTech vai reduzir em 20% a capacidade de produção, no primeiro trimestre de 2021, das doses da vacina contra a Covid-19. Desta forma, como já admitiu o coordenador da ‘task-force’ criada pelo governo, Francisco Ramos, a primeira fase de vacinação não deverá ficar concluída antes de março ou abril.

A Pfizer admitiu estar a enfrentar dificuldades na produção da vacina e, por isso, não vai conseguir entregar as quantidades esperadas anteriormente.  Francisco Ramos admite que se trata de uma “má notícia”. “A Pfizer não conseguirá cumprir e temos uma redução de 20% da quantidade prevista para o primeiro trimestre”, disse o ex-secretário de Estado.

Perante este cenário, a primeira fase do processo de vacinação em Portugal (que vai abranger 950 mil pessoas) já não vai decorrer entre janeiro e fevereiro mas sim entre janeiro e março ou entre janeiro e abril. Francisco Ramos prefere baixar as expectativas. “Vamos aproximarmo-nos mais [do cenário] janeiro a abril”.

Portugal vai estar preparado para começar a” vacinar assim que [as primeiras doses] chegarem”, garante Francisco Ramos. “São 11h30. Se, eventualmente, por algum passe de magia, as vacinas chegassem às 11h45, quero garantir que à tarde teríamos condições de estar a administrar vacinas num qualquer centro de saúde de Portugal”, enfatizou Francisco Ramos na audição conjunta da Comissão Parlamentar de Saúde.

Entretanto, a Agência Europeia do Medicamento anunciou que se vai pronunciar sobre a vacina da Pfizer no dia 21 de dezembro, quando estava previsto só o fazer no dia 29. Francisco Ramos sublinha mesmo que, se a empresa mantiver a disponibilidade de entregar as vacinas três dias depois, Portugal terá pessoas a receber as doses ainda que a entrega coincida com a noite de Natal.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais