Óbidos implementa programa que prevê reduzir problemas de saúde em 20% até 2030

A Câmara de Óbidos quer reduzir, até 2030, 20% dos problemas de saúde do concelho, através de um conjunto de medidas que visam dotar a população de estilos de vida mais saudáveis.

“O grande objetivo é chegar a 2030 com uma redução efetiva dos principais problemas de saúde através da aposta na prevenção e na sensibilização de toda a população para hábitos de vida mais saudáveis”, disse hoje à Lusa o presidente da Câmara de Óbidos, Humberto Marques.

Para isso, a Câmara está a implementar o “Óbidos mais Ativo”, um programa de 16 medidas, visando “alterar o paradigma da saúde” no concelho e “reduzir em 20% aqueles que foram identificados como os principais problemas de saúde”, explicou o autarca. O perfil de saúde do concelho, traçado no âmbito de um estudo elaborado pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Oeste Norte, onde Óbidos se integra, aponta para um território “com uma população significativamente envelhecida”, cujo índice de envelhecimento é de 172,5.

Os dados, a que a Lusa teve acesso, demonstram que o concelho apresenta “8,6% de diagnósticos ativos de diabetes”, de entre uma população em que “21,9% sofre de hipertensão arterial” e “5,7 sofre de depressão”. Segundo o estudo, Óbidos também “não foge à regra” no que toca à obesidade infantil, com “uma em cada quatro crianças com excesso de peso”, das quais 31% raparigas e 25% rapazes.

E no que respeita aos jovens, um inquérito efetuado em 2016 a 51 alunos revelou que 23,5% dos rapazes e 35,3% das raparigas já experimentaram tabaco e, no que toca ao álcool, os resultados sobem para 88,2% dos rapazes e 85,3% das raparigas. Com base neste cenário, o programa traçado pelo pelouro de Saúde e Bem-Estar assenta em três grandes eixos de intervenção: movimento, nutrição e saúde.

As 16 medidas a implementar no âmbito dos referidos eixos passam pela disponibilização de consultas de nutrição, psicologia, orientação e prescrição para a prática de atividade física a toda a população, bem como por programas de incentivo à prática de estilos de vida saudáveis envolvendo escolas, clubes e associações.

Mas “Óbidos quer ir mais longe e tornar-se uma referência local e nacional ao nível do desporto e atividades físicas adaptadas”, sublinhou a vereadora do setor, Margarida Reis, durante a apresentação do programa que irá criar “uma sala Snoezelen”, ou seja, uma sala multissensorial com “luz, sons, cores, texturas e aromas para estimulação sensorial”.

O programa destaca-se ainda por uma unidade móvel que irá percorrer todas as freguesias do concelho, prestando “cuidados de saúde integrados e diferenciados”, explicou a vereadora. Na carrinha viajarão “o nutricionista, para orientar sobre alimentação saudável”, o higienista oral, o psicólogo e até “o veterinário, para fazer o acompanhamento dos animais que são verdadeiros companheiros de vida de muitas pessoas”.

Criação de rotas para caminhadas e BTT, uma academia sénior e tornar Óbidos um destino privilegiado para o turismo de desporto são outras das medidas do programa, que englobará também uma página na internet onde a população terá acesso a todas as informações sobre o programa e as atividades agendadas.

Segundo Humberto Marques, o programa Óbidos Mais Ativo representará “um investimento pouco significativo”, já que assenta sobretudo “na gestão da eficiência de equipas que já existiam, nas escolas e noutras instituições, e que agora passarão a trabalhar em articulação”. A estimativa do autarca é que todas as medidas estejam implementadas no terreno até ao início do próximo ano.

LUSA/SO

ler mais

RECENTES

ler mais