31 Out, 2018

Nove em cada dez hospitais avaliados pelo regulador com excelência clínica

Nove em cada dez hospitais, dos 124 avaliados pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), obtiveram classificação de excelência clínica, cumprindo todos os critérios para a prestação de cuidados de saúde de qualidade, segundo dados divulgados esta terça-feira.

O Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), cuja primeira avaliação de 2018 foi ontem divulgada, é um sistema de avaliação da qualidade dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde, desenvolvido pela Entidade Reguladora da Saúde.

Atualmente estão abrangidos pelo SINAS@Hospitais 159 hospitais dos setores público (87), privado (47) e social (25), mas apenas 124 (78%) tiveram avaliação da dimensão da Excelência Clínica, dos quais 112 (90%) conseguiram a atribuição da “estrela” correspondente ao primeiro nível de avaliação, referem os dados da ERS.

Dez hospitais não obtiveram “estrela” por não terem fornecido os elementos necessários para a avaliação, um ainda está a iniciar a avaliação e noutro estabelecimento de saúde não foi possível aferir o cumprimento com os parâmetros de qualidade exigidos.

Os dados divulgados dizem respeito exclusivamente à dimensão Excelência Clínica, dado tratar-se da única que é atualizada duas vezes por ano, sendo as restantes (segurança do doente, adequação e conforto das instalações, focalização no utente e satisfação do utente) atualizadas no final do ano, e reportam-se a episódios de internamento com alta compreendida entre 1 de julho de 2016 e 30 de junho de 2017.

Na Excelência Clínica são avaliadas as áreas de Angiologia e Cirurgia Vascular (cirurgia de vascularização arterial), Cardiologia (enfarte agudo do miocárdio), Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia do Cólon, Cuidados Intensivos, Cuidados Transversais, Neurologia (Acidente Vascular Cerebral), Obstetrícia, Ortopedia e Pediatria.

Os prestadores que cumprem todos os requisitos de qualidade acedem a um segundo nível de avaliação, no qual é calculado um ‘rating’ individual, com diferentes níveis de classificação.

A avaliação da ERS verificou um aumento do número de prestadores que obtiveram um nível de qualidade III nas áreas de Cirurgia do Cólon (67%) e Pediatria – Cuidados Neonatais (200%), relativamente à última avaliação efetuada referente a 2016 e publicada em janeiro de 2018.

Verificou ainda uma melhoria em alguns indicadores das áreas de Pediatria, Obstetrícia, Acidente Vascular Cerebral, Cirurgia de Ambulatório, Unidade de Cuidados Intensivos e Cuidados Transversais.

Ao longo dos anos, a ERS verificou um “aumento gradual” do desempenho médio em alguns dos indicadores avaliados, alguns dos quais a atingirem 90% e 100% em diferentes áreas como a Ortopedia, Ginecologia, Cirurgia do Cólon, Cirurgia de Revascularização do Miocárdio, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia de Ambulatório, Enfarte Agudo do Miocárdio, AVC, Obstetrícia, Cuidados Intensivos e Avaliação da Dor.

A ERS ressalva que a metodologia utilizada no SINAS é diferente de um ranking, onde os prestadores surgiriam listados por ordem decrescente de desempenho, não sendo adequadas qualificações do tipo “melhor hospital” atribuídas individualmente aos prestadores, mas sim a consideração da integração dos prestadores em grupos de hospitais que obtiveram as melhores avaliações, em cada uma das áreas.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais