20 Jan, 2023

Médico Victor Ramos designado presidente do Conselho Nacional da Saúde

Victor Ramos foi um dos médicos de família que colaborou no processo de transformação dos cuidados de saúde primários em Portugal, integrando a respetiva unidade de missão.

O médico Victor Ramos e a professora Lucília Nunes foram designados presidente e vice-presidente do Conselho Nacional da Saúde, respetivamente, por um período de quatro anos não renovável, anunciou o Ministério da Saúde (MS).

Vítor Ramos e Lucília Nunes vão substituir Henrique de Barros e Ana Nunes de Almeida, que desempenharam até agora os cargos de presidente e vice-presidente do Conselho Nacional de Saúde, respetivamente.

O MS refere que Victor Ramos, licenciado pela Faculdade de Medicina de Lisboa, é especialista em Medicina Geral e Familiar, possui pós-graduações em saúde pública e em educação médica e preside ao conselho de administração da Fundação para a Saúde – Serviço Nacional de Saúde (SNS), desde 2020.

O novo presidente do Conselho Nacional da Saúde é professor convidado na Escola Nacional de Saúde Pública – Universidade Nova de Lisboa, onde colabora desde 1985, e na Universidade de Évora, onde foi diretor da Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano no período de instalação (2021-2022), tendo ainda exercido, entre muitos outros cargos, a vice-presidência da União Europeia dos Médicos de Clínica Geral.

Lucília Nunes, licenciada em Enfermagem pela Escola Superior de Enfermagem Fernanda Resende, com especialidade em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria,  e em filosofia pela Universidade Católica Portuguesa, é professora coordenadora na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal e integra órgãos de ética de diferentes estabelecimentos de ensino e unidades de saúde do SNS, tendo ainda integrado o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida a partir de 2009 e o Conselho Nacional de Saúde entre 2019 e 2021.

O Ministério da Saúde refere que renova “o compromisso com a procura de consensos alargados relativamente à política de saúde, através da auscultação das várias entidades científicas, sociais, culturais e económicas”. O MS indica ainda que o mandato dos novos dirigentes terá a duração de quatro anos.

LUSA

Notícia relacionada

Centros de saúde também pedem autonomia para contratar profissionais

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais