Desde o início da pandemia de covid, em março deste ano, que a autoridade de saúde nacional (Direção-Geral de Saúde) apelou à população para que, em caso de sintomas da doença, ligasse em primeiro lugar para este serviço.

“Entre os dias 01 de janeiro e 24 de setembro, o SNS24 atendeu 1.906.644 chamadas. Em comparação com o período homólogo do ano anterior, já foram atendidas mais 840.844 chamadas, o que traduz um crescimento de 79%”, adiantam os dados dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

Em 2019, a Linha SNS24 atendeu 1.485.808 chamadas, segundo o balanço da atividade do Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde (SNS 24).

Nos meses de março e abril foi registado o maior número de chamadas este ano, com 381.270 e 234.337, respetivamente.

Em setembro, mês que tem vindo a registar um aumento de casos de covid-19, foram atendidas, até dia 24, 232.980 mil chamadas, uma média de 9.700 chamadas por dia, sendo que o tempo média de espera por atendimento ronda os 52 segundos.

 

Linha de Aconselhamento Psicológico recebeu 37.328 chamadas

 

Relativamente à Linha de Aconselhamento Psicológico (LAP), criada a 01 de abril, os dados indicam que recebeu, até 24 de setembro, 37.328 chamadas, 3.125 das quais de profissionais de saúde.

“As chamadas estão relacionadas com problemas associados a ansiedade, stress, angústia, medo, sintomatologia depressiva, gestão de emoções e adaptação em situações de crise e, por vezes, à toma de medicação em excesso e ideação suicida”, salientam os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

Esta linha destina-se a profissionais de saúde, proteção civil, forças de segurança e população em geral, tendo em conta a prioridade atribuída à saúde mental neste período de pandemia.

A plataforma de atendimento por videochamada, disponibilizada no ‘site’ do SNS24 para cidadãos surdos, já realizou 785 atendimentos, entre os dias 21 de abril e 24 de setembro.

O atendimento é feito por um intérprete de Língua Gestual Portuguesa que faz a mediação com o enfermeiro do SNS24.

“Este serviço, disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, pode ainda ser utilizado para assegurar a comunicação entre os profissionais de saúde e o doente surdo no Serviço Nacional de Saúde (centros de saúde e hospitais)”, sublinha a SMPS.

Adianta ainda que “a Linha SNS24 está preparada e é monitorizada em permanência por uma equipa dedicada a 100% para esse efeito”.

Neste momento, conta com 1.250 enfermeiros, que trabalham em turnos de quatro a oito horas, tendo ainda disponível uma bolsa de recurso, ativada sempre que necessário, de mais 326 profissionais de saúde.

SO/LUSA

ler mais