3 Jun, 2020

GSK quer produzir mil milhões de doses de adjuvante para vacina contra a COVID-19

Farmacêutica quer produzir mil milhões de doses em 2021 para suportar o desenvolvimento de vacinas candidatas contra a COVID-19 atualmente sob investigação.

A confirmação do aumento da capacidade de produção surge na sequência de uma avaliação que a companhia levou a cabo ao nível da sua rede global de infraestruturas. A GSK vai produzir unidades de adjuvante para uso em vacinas contra a COVID-19 nas instalações do Reino Unido, Estados Unidos da América, Canadá e Europa.

A GSK acredita que a sua tecnologia adjuvante constitui um contributo significativo na luta contra a COVID-19. Conforme demonstrado durante a última pandemia gripal, este adjuvante da GSK tem o potencial de reduzir a quantidade de proteína necessária por dose de vacina, permitindo assim que seja produzido um maior número de doses e se protejam mais pessoas. Além disso, o adjuvante pode fortalecer a resposta  imunitária e há evidência de que gera imunidade mais duradoura e robusta contra outras infeções.

A GSK tem dado prioridade aos esforços para disponibilizar esta tecnologia adjuvante aos parceiros que estão atualmente a desenvolver vacinas candidatas contra a COVID-19 e que são adequadas para o uso de adjuvante. À data, a companhia já formalizou várias colaborações, entre as quais se encontram parceiros científicos da América do Norte, Europa e China. De momento estão em discussão possíveis colaborações com novos parceiros.

“Tudo indica que será necessária mais do que uma vacina para combater esta pandemia e estamos a trabalhar com parceiros em todo o mundo nesse sentido. Acreditamos que esta nossa inovadora tecnologia adjuvante pode potencialmente melhorar a eficácia e a produção de várias vacinas contra a COVID-19. Com esta expansão da nossa capacidade de produção vamos poder distribuir até cerca de mil milhões de doses de adjuvante para as vacinas até 2021, ajudando assim a proteger mais pessoas e procurando com isto contribuir para o esforço global para combater a COVID-19”, refere Roger Connor, Presidente da Área de Vacinas da GSK.

Dada a necessidade sem precedentes de desenvolver vacinas contra esta doença, a GSK já iniciou a produção deste adjuvante. A companhia tem procurado dialogar com as autoridades e instituições mundiais relativamente a possível financiamento para produção e distribuição do adjuvante. A GSK está comprometida em disponibilizar esta tecnologia adjuvante através de mecanismos que permitam um acesso justo por parte das populações em todo o mundo. Tornar este adjuvante disponível nos países mais pobres do planeta é, também, um objetivo fundamental do esforço que está a ser feito e que passa por donativos e por trabalho conjunto com governos e outras instituições que permitam priorizar esse acesso.

Na sua globalidade, a GSK não tem a expectativa de lucrar com as vendas inerentes ao seu portfólio de colaborações para o desenvolvimento de vacinas contra a COVID-19, uma vez que os lucros gerados serão re-investidos sob forma de apoio a investigação em torno do coronavirus e de preparação a longo prazo contra a pandemia, quer por via de investimentos internos da GSK ou através de parceiros externos.

COMUNICADO

ler mais

RECENTES

ler mais