EKUI, o baralho de cartas inclusivo, vence Prémio Maria José Nogueira Pinto

O projeto tem como objetivo alfabetizar e reabilitar pessoas com e sem necessidades especiais. Desde que foi lançado, em 2015, o EKUI já contribuiu para a alfabetização de 2 mil crianças do pré-escolar e do 1º Ciclo e chegou a 30 mil crianças e adultos.

O Projeto “EKUIzar para mudar o Mundo!”, da Associação Leque é o grande vencedor da 6ª Edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto em Responsabilidade Social, uma iniciativa de responsabilidade social da farmacêutica MSD. O projeto pretende levar mais longe a metodologia EKUI, uma metodologia de alfabetização inclusiva única, que conjuga quatro formas de comunicação diferentes num baralho de cartas inovador.

O projeto, que apresenta uma componente didática e lúdica, tem como principal objetivo alfabetizar e reabilitar pessoas com e sem necessidades especiais. Conjugando a língua gestual, o braille, o grafismo e a fonética do alfabeto, a Associação acredita que é possível quebrar de forma eficiente barreiras de comunicação, resultantes de situações como analfabetismo, doença ou deficiência que afetam cerca de 18% da população portuguesa. Este projeto foi distinguido pelo Júri do Prémio por ser aquele que mais corresponde ao conceito “socialmente responsável na comunidade em que nos inserimos”, defendido por Maria José Nogueira Pinto.

Desde que foi lançado, em 2015, o EKUI já contribuiu para a alfabetização de 2 mil crianças do pré-escolar e do 1º Ciclo do Ensino Básico, e chegou a 30 mil crianças e adultos através de diferentes atividades, como formação de professores, terapeutas e educadores e rastreios nas escolas. Para dar continuidade ao projeto, a Associação Leque apostour no desenvolvimento de uma app e de tutoriais digitais, com o propósito de chegar a um maior número de pessoas e de aumentar o impacto social e económico. Cada baralho de cartas custa 14,99 euros e pode ser adquirido online. A app está disponível por 6,99 euros.

Nesta Edição, o Júri atribuiu também quatro Menções Honrosas aos seguintes projetos: “Equipa de Recados”, da Associação Juvenil para o Desenvolvimento (AJUDE); “EIS – Empreendedorismo e Inovação Social (CSM)”, da Associação para a Recuperação de Cidadãos Inadaptados da Lousã (ARCIL); “Entre Pares”, da Obra Social das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor; e “Bem – Humanizar Equipa Domiciliária de Cuidados Paliativos”, da Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez.

A 6ª Edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto em Responsabilidade Social contou com um número recorde de candidaturas, com um total de 125 projetos inovadores, provenientes de instituições privadas de solidariedade social de vários pontos do país.

A Cerimónia Pública de Atribuição da 6ª Edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto em Responsabilidade Social realiza-se, hoje, dia 5 de julho, na Casa-Museu Medeiros e Almeida, pelas 17H30. O orador convidado desta edição é D. Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa.

Este Prémio é atribuído anualmente com o valor pecuniário de 10.000€ ao Grande Vencedor e 1.000€ a cada uma das Menções Honrosas. Instituído em 2012 pela MSD, o prémio pretende distinguir o trabalho desenvolvido por pessoas, individuais ou coletivas, que se tenham destacado no contexto da responsabilidade social.

O Júri é presidido por Maria de Belém Roseira e composto por mais seis personalidades: Anacoreta Correia, Clara Carneiro, Isabel Saraiva, Vítor Feytor Pinto, Jaime Nogueira Pinto e Pedro Marques, em representação da MSD.

COMUNICADO / Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais