16 Dez, 2020

Curry Cabral. Um ou dois médicos internos asseguram cuidados a 70 doentes Covid

Médicos internos, em formação, não têm apoio de nenhum médico especialista no período noturno, alerta o SIM. Centro Hospitalar de Lisboa Central desmente.

Apenas “um ou dois” médicos internos estão a assegurar os cuidados a 70 doentes infetados com SARS-CoV-2 no período noturno (das 20h às 8h), no Hospital Curry Cabral. A denúncia é feito pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que alerta que esta situação coloca em risco doentes e profissionais.

Em comunicado, o SIM acusa o Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC), a que pertence o Curry Cabral, de desrespeitar o plano de formação dos médicos internos, que realizam “trabalho além das suas capacidades” com “consequente risco de erro médico”.

O sindicato liderado por Jorge Roque da Cunha garante que os médicos internos de Medicina Interna “têm sido ‘compulsivamente motivados’ a prestar horas extra, ultrapassando já, em alguns casos, as 400 horas anuais”. Desta forma, o SIM diz que tem sido desrespeitado o o descanso e saúde física e mental dos médicos internos, revelando uma “falta de respeito pela formação e pela sanidade mental”.

Contactado pelo SaúdeOnline, fonte do CHLC garante que a informação avançada pelo SIM não corresponde à realidade, já que “o reforço das escalas nas enfermarias Covid-19 é feito por médicos especialistas de outras especialidades que não de Medicina Interna, de modo a preservar a integridade dos internatos”.

Apesar disso, o CHLC admite que “a falta de recursos humanos é uma realidade transversal”, acrescentando que “a situação reclama uma procura constante e participada de soluções de gestão de recursos humanos”.

No entanto, e segundo o SIM, “desde julho do presente ano que esta situação é do conhecimento do Conselho de Administração do CHLC, que prometeu informalmente a resolução da mesma”. Perante isto, o sindicato vai avançar com uma denúncia à Ordem dos Médicos.

TC/SO

ler mais
target="_blank"

RECENTES

target="_blank"
ler mais