3 Fev, 2021

Coordenador da task force de vacinação demitiu-se devido a irregularidades

Francisco Ramos apresentou a demissão ontem por causa de irregularidades no processo de vacinação do Hospital da Cruz Vermelha, que dirige.

O Coordenador da Task Force para a Elaboração do “Plano de Vacinação contra a COVID-19 em Portugal”, Francisco Ventura Ramos, renunciou ao cargo esta terça-feira, anunciou hoje o Ministério da Saúde. Em causa estão “irregularidades detetadas pelo próprio no processo de seleção de profissionais de saúde no Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, do qual é presidente da comissão executiva.”

No entanto, a tutela garante que o “funcionamento da Task Force mantém-se assegurado pelos restantes membros do núcleo de coordenação”.

O próprio Francisco Ramos, numa nota enviada à imprensa, justificou a sua tomada a decisão.

“Ao tomar conhecimento de irregularidades no processo de seleção para vacinação de profissionais de saúde do Hospital da Cruz Vermelha, do qual sou Presidente da Comissão Executiva, considero que não se reúnem as condições para me manter no cargo de coordenador da task force para a elaboração do Plano de Vacinação Contra a COVID-19 em Portugal. Assim, apresentei ontem, dia 2 de fevereiro de 2021, à Senhora Ministra da Saúde, a renúncia ao cargo”, podia ler-se na nota.

Também o diretor clínico, Manuel Pedro Magalhães, e a enfermeira-diretora do Hospital da Cruz Vermelha, aria João Costa, apresentaram a demissão, como avançou a SIC. Isto também na sequência de suspeitas de administração irregular da vacinas naquela unidade hospitalar.

Segundo o Expresso, Francisco Ramos terá dado instruções à enfermeira-diretora e ao diretor clínico para organizarem a lista de elementos do hospital a vacinar mas não terão sido respeitados os critérios de priorização definidos a nível nacional. Terão, assim, sido administradas doses a médicos que não exercem funções na unidade há muito tempo.

ler mais

RECENTES

ler mais