19 Set, 2022

Ciências da Saúde na Universidade Europeia assenta em “modelo académico inovador”

A área das Ciências da Saúde da Universidade Europeia tem uma abordagem assente “num modelo inovador, centrado na aprendizagem experiencial” e que dá especial destaque ao ensino em prática simulada.

As Ciências da Saúde têm sido uma aposta da Universidade Europeia. E assim continuará, de acordo com Lourdes Martín Méndez, diretora da área de Ciências da Saúde da Instituição. “É um dos nossos principais desafios estratégicos nos domínios do Ensino, da Formação, da Investigação Científica e da Inovação Tecnológica.”

“A Saúde representa um dos setores mais dinâmicos das sociedades modernas. Os processos de transformação em curso, relacionados com a transição demográfica e epidemiológica e a importância crescente em dar resposta às necessidades contribuíram para que o desenvolvimento científico e tecnológico seja cada vez mais relevante e mais inovador”, acrescenta.

Face a esta realidade, o objetivo é investir num “processo inovador de educação integrado, através da qual os estudantes, de diferentes áreas disciplinares, adquirem conhecimentos e competências, de forma partilhada, tendo em vista as experiências futuras, ao longo da sua vida profissional”.

Esta abordagem assenta “num modelo académico inovador, centrado na aprendizagem experiencial e transversal a todas as áreas da Instituição” e dá especial destaque ao ensino em prática simulada.

“Tendo por base a longa e consolidada experiência das nossas Instituições em Espanha, iremos manter-nos focados na One Health (Saúde Humana, Animal e Ambiental), a qual se traduz na oferta de um vasto portefólio de programas suportados numa aprendizagem experiencial e em infraestruturas inovadoras”.

Neste projeto, a Universidade conta com a colaboração de nomes conhecidos e reputados do setor da Saúde, como Adalberto Campos Fernandes, Ministro da Saúde (2015-2018), Ana Paula Martins, Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos (2016-2022), Manuel Barbosa, Diretor do Serviço de Imunoalergologia do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (2007 – 2020), Alexandra Bento, Bastonária da Ordem dos Nutricionistas e Paulo Maia, Médico Dentista especialista em Cirurgia Oral e coordenador da Medicina Dentária da Universidade Europeia.

A instituição conta, atualmente, com um vasto portfolio de programas de formação de executivos, como Pós-graduações, Cursos de Especialização e Programas Avançados nas áreas de Nutrição, Medicina Dentária, Gestão, Marketing e Valor na Saúde.

 

Atribuição do grau de Doutor Honoris Causa a duas eminências na área da Saúde

Além da “forte componente formativa”, a Universidade Europeia também se tem destacado por outras iniciativas. Exemplo disso foi a atribuição, no Dia Mundial da Saúde (7 de abril de 2022), e pela primeira vez na sua história, do grau de Doutor Honoris Causa a Maria de Belém Roseira e a António Gentil Martins.

“Temos a convicção profunda de que o reconhecimento do seu trabalho em favor da ciência, da ação social e cívica, expresso na dedicação à causa pública nas suas múltiplas responsabilidades, constitui um importante exemplo para as gerações mais jovens e, em particular, para os jovens estudantes que agora iniciam o seu percurso académico e profissional. É, por isso, uma honra que ambos passem a fazer parte do nosso corpo docente”, afirma a reitora, Hélia Gonçalves Pereira.

Foram ainda estabelecidos protocolos com o grupo Lusíadas Saúde, com o Fórum Saúde XXI, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a Apifarma.

Organizou-se também a primeira edição de Shaping the Future of Health, uma iniciativa que discutiu o futuro do setor da Saúde em Portugal e onde foram abordadas as temáticas da transformação digital, dos desafios em Nutrição e das novas abordagens na prática clínica de Medicina Dentária.

 

Observatório da Saúde para “contribuir para qualificação das políticas públicas”

Ainda este ano foram publicados os resultados do primeiro estudo promovido pelo Observatório de Saúde da Universidade Europeia intitulado “Os portugueses e a Saúde no pós-pandemia”. Uma das principais conclusões foi que apenas 15% dos inquiridos revelou estar muito satisfeito com o acesso aos cuidados de saúde no SNS.

O Observatório de Saúde da Universidade Europeia tem por objetivo a investigação na área da saúde, do sistema e dos serviços de saúde, nomeadamente, através do desenvolvimento de um barómetro de monitorização e avaliação das políticas públicas.

Pretendemos contribuir para o desenvolvimento do setor da Saúde, para a promoção da saúde e a melhoria do bem-estar da população, bem como, para a melhoria do processo de tomada de decisão e qualificação das políticas públicas”, reitera a Lourdes Martín Méndez, que foi também uma das autoras do trabalho.

SO

 

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais