Autoridades sul-africanas descobrem origem de epidemia que já provocou 180 mortes no país

O Ministro da Saúde sul-africano, Aaron Motsoaledi, confirmou, em comunicado, que o Governo conseguiu “finalmente” encontrar a origem da epidemia listeriose, que já provocou pelo menos 180 mortes, responsabilizando uma empresa alimentar no nordeste do país.

“Podemos confirmar que a fonte da epidemia é uma unidade de produção alimentar, pertencente à empresa Enterprise, situada em Polokwane”, no nordeste da África do Sul, lê-se no referido comunicado.

Os produtos dessa unidade de produção alimentar vão sair imediatamente do mercado sul-africano, garantiu o ministro, aconselhando a população a evitar o consumo das embalagens que contêm carne pré-cozinhada. Contactada por vários órgãos de comunicação social sul-africanos, a Enterprise ainda não divulgou qualquer informação.

A doença é infecciosa e é transmitida com maior frequência aos seres humanos através de alimentos contaminados. A listeriose é uma infeção bacteriana provocada pelo bacilo ‘listeria monocytogenes’ e figura entre as zoonoses – doenças transmitidas de animais para humanos – mais perigosas. Geralmente, causa febre, vómitos e diarreia e é tratada com antibióticos.

Os indivíduos mais suscetíveis, como idosos, recém-nascidos, mulheres grávidas ou pacientes com sistema imunitário enfraquecido, estão mais expostos às complicações, incluindo a meningites e septicemias. Dados do Instituto Nacional de Doenças Contagiosas sul-africano indicam que, desde janeiro de 2017, foram registados perto de 950 casos, o que torna a epidemia a maior jamais registada em todo o mundo.

LUSA/SO

ler mais

RECENTES

ler mais