20 Dez, 2019

Atividade gripal aumenta. Crianças e jovens são os mais afetados

Estirpe predominante em Portugal atinge mais as crianças, ao contrário do que acontece na Europa, onde os idosos estão a ser os mais afetados. Já há registado de internamentos.

Estão a aumentar os casos de gripe em Portugal, numa altura em que o país se aproxima do pico da atividade gripal, que, este ano, está previsto que ocorra nos últimos dias de 2019 e no início de 2020. Para já, são as crianças e os jovens que estão a ser mais afetados, ao contrário do que está a acontecer noutros países europeus, em que é a população idosa aquela que mais está a sofrer com a infeção pelo vírus da gripe, avança o jornal Público.

O subtipo de vírus predominante é diferente em Portugal, em comparação com a maioria da Europa, o que explica que o grupo mais afetado seja distinto. O último boletim de vigilância epidemiológica de síndrome gripal, divulgado ontem pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge e que diz respeito ao período entre os dias 9 e 15 deste mês, confirma que o padrão temporal da epidemia de gripe é mais precoce este ano do que o habitual e que o número de consultas manteve tendência crescente em especial no grupo etário dos seis aos 18 anos.

Em Portugal, o cenário não é, para já, preocupante. O subtipo de vírus mais comum nesta altura é o B (e não A, considerado mais agressivo e que afeta mais a população idosa). Há, no entanto, registo de dois internamentos nos cuidados intensivos relacionados com gripe. Dos três casos de doentes internados em enfermarias hospitalares, todos são crianças, sendo que duas delas, pertencendo a grupos de risco, não estavam vacinadas, o que mostra, uma vez mais, que a importância da vacina como prevenção.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais