14 Mai, 2021

Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal distinguida pela OMS

A Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como instituição promotora de boas práticas durante a pandemia.

A Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como instituição promotora de boas práticas no período de pandemia, em benefício das pessoas com diabetes. A distinção é feita no mês em que a associação celebra 95 anos.

Este reconhecimento inclui a dedicação da associação para se reinventar e continuar a assegurar o acompanhamento das pessoas com diabetes, e o esforço para a recuperação dos casos que não foram diagnosticados devido ao impacto da pandemia.

Durante o último ano, a APDP teve de se adpatar ao desafio imposto pela distância. Desse modo organizou um sistema de teleconsultas, criou uma linha de apoio nacional, entregou medicamentos ao domicílio e contactou todos os utentes da associação.

O diretor clínico da APDP, Filipe Raposo destaca que “tivessem ou não consultas marcadas, as pessoas foram contactadas para percebermos como estavam a viver o confinamento e se precisavam da nossa ajuda”.

Filipe Raposo acrescenta ainda que “quem é hoje diagnosticado com diabetes continua a ser confrontado com uma doença que representa uma ameaça, com um tratamento que é complexo, com resultados que podem ser frustrantes, com o peso da discriminação por parte da sociedade, o que justifica o trabalho da associação. O tratamento diferenciado e o melhor tratamento da diabetes não será o que temos hoje, mas aquele que almejamos”.

Para alcançar esse fim, a associação realiza atividades que passam pela clínica, “um modelo ainda hoje inovador na integração de cuidados”, pela educação, com a Escola da Diabetes “que tem, há décadas, programas de educação” para profissionais de saúde, onde se “tem desenvolvido e colaborado em múltiplos projetos e ensaios clínicos”.

A APDP é a associação de diabetes mais antiga do mundo e desempenha um papel fundamental no tratamento da diabetes em Portugal, oferecendo cuidados curativos e de reabilitação em endocrinologia, nefrologia, urologia, cardiologia, podologia, oftalmologia, nutrição, saúde mental, entre outras especialidades, a mais de 50 mil beneficiários do Serviço Nacional de Saúde.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais