5 Mar, 2018

Algarve: Sindicato Independente dos Médicos defende construção urgente de novo hospital central

A estrutura sindical do Algarve defende a "urgente construção" do novo hospital central, previsto há mais de dez anos, para solucionar os problemas de "sobrelotação crónica" do serviço de Urgência e do Hospital de Faro.

Uma nota do SIM-Algarve divulgada no seu ‘site’, afirma que a solução “passa pela urgente construção do novo hospital do Parque das Cidades, que já deveria estar a funcionar em pleno, a acreditar nas múltiplas promessas de políticos”.

Em 2006, o Governo de José Sócrates chegou a lançar a primeira pedra do Hospital Central do Algarve, previsto para o Parque das Cidades, entre Loulé e Faro. Nesse ano, a construção da infraestrutura, entretanto adiada, figurava em segundo lugar na lista nacional de prioridades de novos hospitais. Na semana passada, o SIM denunciou o pedido de demissão de três diretores de serviço do hospital de Faro que alegaram falta de resposta para a sobrelotação de doentes e pressões para atribuírem altas precoces, face ao aumento da procura e as consequentes dificuldades no internamento.

O SIM-Algarve considerou que, a confirmar-se, esta é uma “situação lamentável e inaceitável, de desrespeito pelos profissionais que diariamente tentam superar, com o seu esforço e dedicação, as deficiências dos hospitais e que são da responsabilidade de quem gere” o Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA). “Como se não bastasse, considera o Conselho de Administração [do CHUA] que a solu