Suplementação com riboflavina reduz enxaquecas

Estudo indica que terapêutica com a vitamina riboflavina é muito eficaz. Maioria dos pacientes ficou livre da doença dois anos após o tratamento.

A suplementação com riboflavina pode reduzir a frequência e a severidade das enxaquecas em pacientes com deficiência de vitamina B2 e outros micronutrientes, revelou um estudo apresentado na Reunião Anual da American Headache Society (AHS).

Após a implementação nutricional, todos os participantes registaram uma redução de 50% ou mais na severidade e frequência da enxaqueca após a suplementação nutricional. A maioria dos pacientes ficou mesmo livre da doença 2 anos após o tratamento.

“As deficiências nutricionais podem ter um papel fundamental na enxaqueca”, refere a investigadora Madhureeta Achari, neurologista do Departamento de Medicina Física e Reabilitação da Faculdade de Medicina da Universidade do Texas, em Houston.

Os investigadores avaliaram 42 pacientes (84% mulheres; idade média de 35,5 anos) com enxaqueca cujos níveis de riboflavina eram considerados baixos. A amostra incluiu pacientes que têm episódios de enxaqueca com aura de enxaqueca sem aura, bem como outros pacientes com enxaqueca crónica.

Todos os pacientes foram suplementados com riboflavina, tendo os níveis desta vitamina sido monitorizados através de medições laboratoriais ao longo de 2 anos. Apenas sete pessoas precisaram de medicação para superar as enxaquecas.

Os resultados mostraram que o número de dias de enxaqueca por mês foi reduzido de uma média de 14,4 no início para 3,4 após o tratamento com riboflavina.

A relação entre a riboflavina e a enxaqueca já tinha sido comprovada em estudos anteriores. Num trabalho publicado há mais de duas décadas, 59% das pessoas com enxaqueca que foram aleatoriamente designadas para receber altas doses de riboflavina durante três meses e tiveram uma redução de pelo menos 50% menos nas dores de cabeça em comparação com uma diminuição de 15% no grupo que recebeu placebo.

Neste e noutros ensaios clínicos, a suplementação de 200 mg a 400 mg com riboflavina pareceu ser eficaz na redução da frequência e severidade das enxaquecas.

No mesmo congresso – a reunião deste ano da AHS -, e ainda sobre este tema, ficou a saber-se também que pessoas com níveis moderadamente elevados de consumo de riboflavina de alimentos – duas a três vezes a dose diária recomendada – têm uma prevalência significativamente menor de uma dor de cabeça severa recente ou enxaqueca. Esta é a conclusão de um estudo em que participaram mais de 3600 pessoas.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais