1 Set, 2021

Síndrome do Ovário Poliquístico: uma das causas mais comuns de infertilidade

A síndrome que afeta entre 10 a 15% das mulheres não tem cura, mas pode ser tratada e controlada, sublinha a médica ginecologista Catarina Godinho.

A Síndrome do Ovário Poliquístico (SOP) é uma doença que representa uma das principais causas de infertilidade e que afeta 10 a 15% das mulheres. Segundo alerta a médica ginecologista e especialista em medicina da reprodução, Catarina Godinho, o diagnóstico precoce e um acompanhamento médico especializado e multidisciplinar são fundamentais para combater as consequências associadas à patologia.

De acordo com a especialista, a SOP “é um conjunto de sinais e sintomas causados por desequilíbrio hormonal dos ovários, que pode ser ligeiro ou grave, causando, por exemplo, irregularidade dos ciclos menstruais, crescimento de pelos em zonas mais comuns nos homens, aparecimento de acne, entre outras alterações hormonais”.

Tendo em conta que, apesar de ser uma doença que não tem cura, mas que pode ser tratada ou controlada, Catarina Godinho reforça a importância de que “quando uma mulher com SOP quer engravidar deve falar previamente com o seu médico ginecologista”. Caso não seja o caso, a especialista esclarece que é normalmente “recomendado o uso da pílula anticoncetiva para que os ciclos menstruais sejam mais regulares”.

Segundo explica ainda, o diagnóstico é formalizado através de critérios médicos específicos, os quais incluem o registo de todos os “sintomas, ecografia e análises”. “Para o diagnóstico deve ser tido em conta os antecedentes pessoais relevantes como diabetes, colesterol alto, hipertensão arterial, aumento de peso e obesidade; deve ser feita uma avaliação dos níveis hormonais de androgénios (hormonas masculinas) e resistência à insulina”, acrescenta a especialista.

ler mais

RECENTES

ler mais