22 Jan, 2020

Novo Coronavírus já matou 17 pessoas, dizem as autoridades de saúde chinesas

A nova estirpe identificada de coronavírus (2019nCoV) já vitimou 17 pessoas na China e causou 444 de infeções confirmadas, disse o governo provincial de Hubei esta quarta-feira, citando a mais recente informação recolhida em Wuhan e outras cidades afetadas pelo surto epidemiológico.

As autoridades sanitárias em Pequim dizem estar preocupadas com a possibilidade de o vírus se espalhar ainda mais rapidamente durante as comemorações do Ano Novo Lunar.
Ainda que se registem já alguns casos relatados fora da China, nenhuma morte foi relatada fora do país.

O Gabinete de Prevenção e Controlo de Doenças da China disse que, embora o vírus não pareça ser tão virulento como o que causou uma pandemia da SRA – síndrome respiratória aguda grave – há 17 anos atrás, é, no entanto, “altamente infecioso”.

“O vírus é transmitido principalmente através do trato respiratório”, disse Li Bin, vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde da China, em conferência de imprensa realizada esta quarta-feira na sequência de uma reunião de um painel de especialistas em saúde, em Pequim. “Pode sofrer uma mutação e há o risco de se espalhar ainda mais.”
“Asseguramos a gestão dos canais de exportação, como a verificação da temperatura nos aeroportos, estações de trem e autocarros bem como nos portos… E vamos reduzir ao máximo os eventos com grandes multidões”, disse Li.

Durante o Ano Novo Chinês, o número de pessoas que se deslocam pelo país (estimado em três mil milhões) aumenta o risco de propagação da epidemia e a dificuldade de prevenção e controle”. Não devemos encarar a epidemia de ânimo leve”, sublinhou o responsável.

Segundo Li, os moradores da província de Hubei, onde Wuhan está localizada, devem evitar áreas densamente povoadas e reuniões públicas. Isto após o epidemiologista chefe do Departamento de Prevenção de Doenças, Zeng Guang, ter defendido uma quarentena não-oficial de Wuhan.

“Esperamos que as pessoas possam evitar ir para Wuhan se possível e que as pessoas em Wuhan possam ficar lá”, disse Zeng.

Um alerta reiterado pelo Presidente da Câmara Municipal da cidade, Zhou Xiangwang, que disse em entrevista à imprensa chinesa que o surto em Wuhan “não deve exercer pressão sobre o resto do país”.

O vírus, conhecido como 2019-nCoV, foi descoberto no mês passado na cidade central de Wuhan. Desde então, propagou-se para outras partes da China, e foram encontrados casos isolados no Japão, Tailândia, Coreia do Sul, Estados Unidos e Hong Kong.

 

MMM

ler mais

RECENTES

ler mais