18 Mar, 2021

Apoio psicológico. Linha SOS da UMinho já atendeu 105 pessoas

Pedidos de apoio psicológico da Linha SOS da Universidade do Minho aconteceram, na sua maioria, entre março e maio de 2020.

A Linha de Apoio Psicológico SOS Covid-19, coordenada pela Associação de Psicologia da Universidade do Minho (UMinho) e que quinta-feira assinala um ano, já atendeu 105 pessoas em Braga e Guimarães.

Em comunicado, a UMinho refere que a maioria dos atendimentos ocorreu entre março e maio de 2020.

As solicitações em geral incidiram em dificuldades e preocupações pessoais e familiares (74%), além de contextos académicos (9%) e pedidos de informação ou outros assuntos (15%).

A intervenção psicológica respondeu a necessidades de estabilização emocional (66%), compreensão e organização da nova experiência (20%), questões académicas (8%) e encaminhamento para serviços especializados (7%).

Quase um terço dos pedidos motivou um contacto para monitorizar o bem-estar e a estabilidade emocional do utente.

Os utentes atendidos são da academia e da sociedade civil.

A linha de apoio psicológico tem o número gratuito 253144420 e contou com a colaboração de 41 especialistas das Escolas de Psicologia e Medicina da UMinho e do Centro de Medicina Digital P5 para apoiar a saúde mental dos cidadãos na pandemia

O modelo de intervenção em crise desta Linha SOS foi alvo de um artigo científico na revista internacional “Counselling Psychology and Quartely”.

“Neste cenário pandémico invulgar de alteração das rotinas e do confinamento dos espaços físicos e relacionais, em que a perceção de segurança pessoal, a diferentes níveis, pode estar ameaçada em algum momento, as respostas de instabilidade emocional e comportamental são normais, mas podem ser difíceis de aceitar e de regular”, refere Eugénia Ribeiro, da Escola de Psicologia da UMinho.

Nesse sentido, os profissionais da linha ajudaram a identificar e suportar recursos adequados para as pessoas lidarem com situações de sofrimento na fase atual.

Por outro lado, facilitaram o autocuidado e orientaram os utentes para estruturas de apoio mais adequadas para determinados problemas.

 

Notícias relacionadas:

ler mais

RECENTES

ler mais