13 Dez, 2019

Houve rutura de ‘stock’ de vacinas contra a gripe a nível nacional

A ARS de Lisboa admite que houve uma rutura de ‘stock’ da primeira tranche de vacinas contra a gripe, há duas semanas, tendo a mesma "esgotado a nível nacional".

Em resposta a questões da Lusa sobre a falta de vacinas em lares de idosos de concelhos do distrito de Santarém, fonte da ARSLVT confirmou uma “rutura de ‘stock’ da primeira tranche de vacinas há cerca de duas semanas”, tendo a mesma “esgotado a nível nacional”. O mesmo já tinha acontecido na região Norte.

Segundo a mesma fonte, “o SNS procedeu à aquisição de uma segunda tranche de vacinas, entretanto já recebidas”, tendo a região da Lezíria do Tejo já sido abastecida e a região do Médio Tejo começado a receber.

A ARSLVT deu ainda conta de que “mais vacinas vão ser entregues” na região do Médio Tejo, “sendo distribuídas conforme solicitação e especialmente direcionadas para os lares de idosos, onde as mesmas estavam em falta”. “Neste momento não há rutura nem falta de vacinas na área de abrangência da ARSLVT”, assegurou à Lusa.

Segundo o PSD, “milhares de idosos” do distrito de Santarém estão sem vacina contra a gripe”, tendo o partido exigido explicações ao Governo, liderado pelo PS, e a “resolução imediata” do problema.

“Os idosos de pelo menos mais de metade dos 21 concelhos do distrito de Santarém não tiveram ainda acesso à vacina contra a gripe que a própria Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda que seja dada prioritariamente aos maiores de 65 ano