18 Mai, 2020

DGS garante que o país está “muito atento” à doença de Kawasaki

A diretora-geral garante ainda que o Serviço Nacional de Saúde tem capacidade para internar e tratar situações mais graves que venham a existir e que o país está a trabalhar de perto com as unidades pediátricas sobre a doença de Kawasaki.

“Portugal está à altura, como os serviços de pediatria, que vão reportando quer a nível nacional, quer internacional, os sintomas, sinais e evolução, contribuindo assim para um maior conhecimento da doença”, disse no sábado, na conferência de imprensa diária de acompanhamento da pandemia da covid-19.

Graça Freitas referiu que perante o aparecimento de um caso positivo, seja ele ou não inserido num surto, o país tem um “plano muito interventivo, rapidamente interventivo e ainda mais interventivo”.

O caso português de uma criança com uma “situação semelhante” e “quadro clínico parecido” à doença inflamatória grave associada à covid-19 foi reportado internacionalmente, lembrou, acrescentando que Portugal tem estado a dar nota às autoridades internacionais das suas situações.

“A criança foi internada, teve uma situação clinicamente difícil, mas foi muito bem tratada e recuperou”, realçou.

Pedindo tranquilidade aos pais, numa altura em que as creches vão reabrir, a diretora-geral salientou que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem capacidade para internar e tratar situações mais graves que venham a existir.

“Felizmente, e até à data, as crianças que temos tido doentes, independentemente de ter um quadro clínico mais ou menos grave, tiveram todas uma evolução positiva”, vincou.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) procura provas sobre a ligação entre a covid-19 e a doença de Kawasaki, uma síndrome inflamatória que afeta crianças, revelou na sexta-feira o presidente da entidade, Tedros Adhanom Gebreyesus.

“As hipóteses iniciais indicam que essa síndrome pode estar ligada à covid-19”, afirmou o responsável em conferência de imprensa através da Internet, sublinhando que o estudo desta relação “é crítico e urgente”.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais