1 Out, 2021

Cancro do fígado. Especialistas destacam importância da prevenção

Dados revelam que o cancro do fígado é o 11º tipo de cancro mais frequente em Portugal.

A propósito do Mês da Consciencialização para o Cancro do Fígado, que se assinala em outubro, a Associação Portuguesa para o Estudo do Fígado (APEF) procura alertar a população nacional para a importância e a necessidade de prevenir, diagnosticar e tratar precocemente o cancro do fígado.

Por ano, em Portugal, são diagnosticados mais de 1300 novos casos desta patologia. “O número de casos de cancro do fígado tem vindo a aumentar nos países industrializados, como é o caso de Portugal, sendo cerca de 2,5 vezes mais frequente nos homens. De acordo com os dados da Globocan, de 2018, é o 11º tipo de cancro mais frequente no nosso país”, disse, em comunicado, o presidente da APEF, José Presa.

De acordo com o especialista, “a sua taxa de sobrevivência a cinco anos é inferior a 10%, se não for detetada a tempo”. Assim, é essencial reforçar que é uma doença “prevenível, evitável, tratável e, por vezes, curável”. No entanto, “é uma doença que pode causar consequências graves, se não for tratada”.

“Aposte na prevenção”, aconselha José Presa. “Mantenha um estilo de vida saudável, faça exercício físico, beba álcool com moderação, não consuma drogas, não partilhe seringas nem outro tipo de objetos, como sejam os de higiene pessoal, vacine-se contra a hepatite B, use preservativo, lave as mãos com frequência e certifique-se de que a comida que ingere foi devidamente higienizada”.

Neste sentido, é fundamental que a população portuguesa se mantenha atenta aos sinais e sintomas do seu corpo, sendo que os que estão associados ao cancro do fígado são: fadiga sem razão aparente, dor ou desconforto do lado direito do abdómen superior, abaixo das costelas, dor na omoplata direita, perda de apetite ou sensação de enfartamento, perda de peso sem razão, vómitos e icterícia.

ler mais

RECENTES

ler mais