VIH e literacia dos jovens são os principais desafios nos objetivos de desenvolvimento

Novas infeções por VIH em crianças e adolescentes e as taxas de literacia em leitura e matemática são os indicadores nos objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) em que Portugal mais tem que trabalhar até 2030, segundo a UNICEF.

Na ficha de dados sobre o país, anexa ao relatório da UNICEF ontem divulgado – Progresso para as crianças na Era dos ODS (“Progress for Children in the SDG Era”) – e na qual são elencados os 44 indicadores tidos em conta para medir o progresso dos países face às metas estabelecidas para 2030, há vários com indicação de que não existe informação disponível ou quando existe é insuficiente, e outros, sobretudo em matéria de saúde e sobrevivência ou ambiente, nos quais Portugal já atingiu os ODS para 2030.

São apenas quatro os indicadores que aparecem como sendo matérias a precisar rapidamente de medidas para atingir as metas: o número de novas infeções por VIH entre adolescentes (um indicador para rapazes, e outro para raparigas) e a percentagem de jovens que no final do ensino básico (9.º ano de escolaridade) atingem níveis mínimos de literacia em leitura e matemática.

No que diz respeito às novas infeções por VIH, e ainda que não sejam disponibilizados valores, o relatório indica que a meta para 2030, no que diz respeito a crianças com menos de cinco anos, já foi atingida. Nos indicadores de literacia, as percentagens para leitura estavam em 2015 – último ano com dados disponíveis – nos 83% para leitura e em 76% para matemática.

Mais de 500 milhões de crianças estão fora do radar dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, alerta a UNICEF, no relatório divulgado, no qual demonstra preocupação com a “alarmante falta de dados” em dezenas de países. Segundo os dados divulgados em comunicado pela UNICEF, a agência das Nações Unidas dedicada à proteção das crianças, a “alarmante falta de dados” acontece em 64 países, e em 37 outros, onde os dados podem ser monitorizados, regista-se um “progresso insuficiente”.

“O relatório da UNICEF, Progresso para as crianças na Era dos ODS é o primeiro relatório temático que avalia o desempenho para atingir os objetivos globais dos ODS que dizem respeito a crianças e jovens. O relatório alerta que 520 milhões de crianças vivem em países que carecem completamente de dados em pelo menos dois terços dos indicadores dos ODS relacionados com as crianças, ou que não possuem dados suficientes para avaliar o seu progresso – tornando essas crianças efetivamente ‘incontáveis’”, lê-se no comunicado.

Há 44 indicadores para avaliar o progresso dos ODS no que diz respeito às crianças, distribuídos por cinco áreas relativas aos seus direitos: saúde, aprendizagem, proteção contra a violência e exploração, um ambiente seguro e igualdade de oportunidades.

LUSA/SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais