29 Mai, 2018

Parlamento chumba despenalização da eutanásia

Foram rejeitados todos os quatro projetos para despenalizar a morte assistida que foram a votação no plenário do parlamento esta terça-feira. Numa votação feita deputado a deputado, a votação mais renhida registou-se no projeto de lei do PS com 115 votos contra, 110 a favor e 4 abstenções.

CDS-PP e PCP votaram contra. Bloco de Esquerda, Verdes (PEV) e PAN votaram a favor. A grande maioria dos deputados do PS votou a favor (houve dois votos contra), enquanto quase todos os deputados do PSD votaram contra. Nenhum deputado rompeu a disciplina de voto nas bancadas que a tinham imposto mas houve vários deputados do PSD a votarem a favor, contrariando o voto ‘contra’ que foi maioritário na bancada.

Todos os projetos de lei acabaram chumbados. O projeto de lei do PAN teve teve 102 votos a favor, 116 contra e 11 abstenções. O projecto do Bloco  teve 104 votos a favor, 117 contra e 8 abstenções. O projecto do PS teve 110 votos a favor, 115 contra e quatro abstenções. O projecto do PEV teve 104 votos a favor, 117 contra e 8 abstenções.

Na bancada do PS, Miranda Calha e Ascenso Simões votaram contra a despenalização da eutanásia. Pedro do Carmo apoiou o projecto socialista e absteve-se nos restantes. No PSD viram-se vários votos contra: Duarte Marques (votou a favor da proposta do Bloco e PEV e absteve-se nos outros), Margarido Balseiro Lopes (votou a favor do projeto do PS e contra os restantes), Paula Teixeira da Cruz, Teresa Leal Coelho e Adão e Silva. Cristóvão Norte absteve-se, tal como Bruno Vitorino (que se absteve no projeto do PAN e votou contra os restantes), Berta Cabral e Pedro Pinto.

Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais