Sociedade Portuguesa de Oftalmologia promove rastreios visuais gratuitos

Oito em cada dez pessoas admitem ignorar parcial ou completamente o que são as cataratas. No entanto, mostram-se preocupados com a possibilidade da perda de visão afetar a sua qualidade de vida.

Hoje assinala-se o dia Dia Mundial da Visão. Para celebrar a data, a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO) e a Alcon, líder global em cuidados oculares, anunciam um reforço da sua parceria para a realização de diversas iniciativas de consciencialização para a saúde ocular junto da população.

As duas entidades anunciaram que têm programada a realização de rastreios visuais gratuitos, agendados para o dia 21 de novembro na Gare do Oriente, em Lisboa. Esta iniciativa está inserida no evento Check-Up, que se se traduz em ações de sensibilização à população e na realização de rastreios ao público em geral.

O rastreio visual será uma oportunidade para a população portuguesa poder fazer exames oftalmológicos de forma gratuita, possibilitando a realização de exames que poderão identificar doenças como a Presbiopia, Miopia, Astigmatismo, Hipermetropia, Queratocone, Catarata e Hipertensão ocular. Além disso, irão ainda incidir na doença da catarata, a principal causa de cegueira evitável em todo o mundo.

O nosso objetivo é ajudar as pessoas a ver melhor e, para atingi-lo, apostamos na contínua inovação e compromisso com as comunidades onde estamos presentes. A parceria entre a Alcon e a SPO nasce no âmbito deste compromisso, e permite-nos desenvolver iniciativas de informação e consciencialização da população em geral, com o objetivo de melhorar a saúde visual dos portugueses”, diz Ana Isabel Gómez, diretora-geral da Alcon Espanha e  Alcon Portugal.

De acordo com um estudo levado a cabo pela Alcon em 2017, “More to See”, e cuja população objeto de estudo foram os indivíduos com mais de 60 anos de 12 países da Europa, Médio Oriente e África, a maioria dos inquiridos desconhece em que consiste a doença das cataratas. De entre as pessoas inquiridas que não foram submetidas a cirurgias de catarata, 8 em cada 10 admitem que ignoram as cataratas, referindo como principal sintoma desta doença a visão turva. A maioria acredita que as cataratas se desenvolvem progressivamente e cerca de 1/3 ignora que a catarata está relacionada com a idade.

Ainda assim, o estudo revelou que os inquiridos se mostram preocupados com a possibilidade da perda de visão afetar a sua independência e qualidade de vida, pelo que a recetividade para receber tratamento é muito elevada. O estudo também constatou que a cirurgia é a primeira opção de tratamento referida, no caso de as pessoas serem afetadas por cataratas. A maioria da amostra que foi submetida a cirurgia de catarata foi aconselhada pelo oftalmologista a avaliar a existência de cataratas, o que revela a importância das consultas e exames regulares.

EQ/SO

ler mais

RECENTES

ler mais