22 Out, 2019

Projeto inovador no Algarve quer atrair médicos e turistas de saúde

Um centro de cirurgia virtual vai treinar jovens médicos e um centro de reabilitação promete fazer aumentar o turismo de saúde da região.

É no Sul que a tecnologia está prestes a aproximar aqueles que são os turistas da saúde através de um projeto inovador, um centro de reabilitação e outro de cirurgia virtual para atrair jovens médicos.

O projeto, que resulta da parceria do Centro Académico de Investigação e Formação do Algarve (ABC – Algarve Biomedical Center) com a Câmara Municipal de Loulé, e contou com um investimento de 24 milhões de euros, tem como principal objetivo atrair mais médicos para o sul do país, uma região bastante afetada pela carência de especialistas.

O desenvolvimento de um centro de cirurgia virtual a quatro dimensões poderá ser apenas um chamariz para que o objetivo se venha a concretizar.

“O Centro académico identificou algumas dificuldades na região do Algarve, nomeadamente a captação e fixação de profissionais nos hospitais públicos. E o projecto nasceu a pensar: ‘O que é necessário fazer que isso não aconteça?’”, explicou Nuno Marques, presidente do ABC, ao jornal Público.

Como resposta foi elaborado um projeto para a criação de dois centros focados no bem-estar e turismo de saúde.

O ABC Loulé Health Research Center será o palco de um centro de cirurgia experimental de realidade virtual que estará aberto aos alunos em 2024. O cardiologista do Centro Hospitalar do Algarve Nuno Marques, explica que serão o “primeiro centro  treinar em realidade virtual a quatro dimensões”.

Mas afinal, o que é a “quarta dimensão”?

“A quarta dimensão é a profundidade, dá a percepção que temos algo à frente. Os médicos terão de ter a mesma precisão, aparecem os erros e o ‘doente’ pode morrer”, explica o especialista.

Está já estipulado que os primeiros cursos serão de cirurgias laparoscópicas. No entanto, Nuno Marques adianta ao Público que existe a possibilidade de “treinar qualquer tipo de cirurgia”.

Além disso, o centro de Loulé albergará também alguns projetos em fase de desenvolvimento do centro académico, bem como de outras instituições, como é o caso do Instituto Dr. Ricardo Jorge, Instituto Português do Sangue e o banco nacional de células estaminais.

O outro centro será criado de raiz no Centro Loulé Active e compreende os cuidados de bem-estar e turismo de saúde. Irá ficar situado em Vilamoura e será “um centro de reabilitação cardíaca, respiratória e osteoarticular”, cujo propósito é “ajudar as pessoas a melhorar a sua qualidade de vida”, afirmou.

EQ/SO

ler mais

RECENTES

ler mais