Prevalência da demência em Portugal mais do que duplicará até 2050

Relatório da Alzheimer Europe diz que Portugal contraria tendência europeia e pode chegar quase aos 347 mil casos.

O número de pessoas com demência em Portugal em 2050 irá atingir os 3,82% da população, o que será mais do dobro da prevalência atualmente registada, refere o relatório da Alzheimer Europe divulgado hoje, 18 de fevereiro.

Analisando os dados de Portugal, existe um ligeiro decréscimo da população portuguesa para o período 2018-2025, seguido de um decréscimo mais acentuado entre 2025 e 2050.

Contudo, apesar da esperada diminuição da população, o número de pessoas com demência irá mais do que duplicar: de 193.516 em 2018 (1,88% da população) para 346.905 em 2050 (3,82% da população), refere o relatório divulgado durante um almoço-debate do Parlamento Europeu organizado por Christophe Hansen, eurodeputado do Luxemburgo.

Em reação ao documento, a associação Alzheimer Portugal emitiu um comunicado onde reconhece que “Portugal ultrapassa a tendência europeia, com os números quase a duplicar em 2050”.

De acordo com a associação, “um fator determinante desta mudança será um aumento significativo do número de pessoas com mais de 70 anos e, em particular, a faixa das pessoas com mais de 85 anos, a qual mais do que duplicará entre 2018 e 2050”.

Para Rosário Zinck dos Reis, membro da direção nacional da Alzheimer Portugal, “estes dados são muito alarmantes não havendo tempo a perder na criação e implementação de políticas para as pessoas com demência e seus cuidadores”.

Estas políticas terão, naturalmente, que incluir forte aposta na prevenção, a provável responsável pelo decréscimo da prevalência na Europa, conforme resulta do estudo apresentado pela Alzheimer Europe”, afirma