1 Set, 2020

OMS pede cautela no uso de emergência de vacinas contra a Covid-19

O uso de emergência de uma vacina tem de ser ponderado "com cautela" e "caso a caso", tendo em conta a sua eficácia e segurança, diz a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu cautela no uso de emergência de vacinas contra a covid-19, recordando que têm de possuir uma eficácia mínima de 30 por cento.

Soumya Swaminathan falava na habitual videoconferência de imprensa transmitida da sede da OMS, em Genebra, na Suíça.

De acordo com a responsável, “a aprovação prematura de uma vacina”, sem todos os estudos adequados finalizados, pode implicar que essa vacina tenha “baixa eficácia, não funcione ou tenha um perfil de segurança inaceitável”.

A cientista-chefe da OMS recordou que uma vacina para a covid-19 terá de possuir uma “eficácia mínima” de 30%.

“Idealmente, não queremos que uma vacina com menos de 30% de eficácia seja aprovada”, frisou.

A OMS está a trabalhar em conjunto com especialistas sobre os critérios de segurança e eficácia para aprovação de uma vacina para a covid-19.

Justificando a importância dos resultados de eficácia e segurança dos ensaios clínicos de vacinas experimentais, o diretor-executivo do Programa de Emergências Sanitárias da OMS, Mike Ryan, advertiu para o risco de se “negligenciar alguns efeitos adversos” se se começar a vacinar milhões de pessoas “muito rapidamente”.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais