23 Jul, 2018

Mais de 50% dos diagnósticos de cancro da cabeça e do pescoço são tardios, alertam os especialistas

No próximo dia 27 de julho, sexta-feira, assinala-se o Dia Mundial do Cancro de Cabeça e Pescoço. Nesse sentido, o Grupo de Estudos de Cancro de Cabeça e Pescoço (GECCP) alerta para ao mais de 50% de casos diagnosticados numa fase muito avançada da doença.

Em comunicado, os especialistas referem que todos os dias morrem 3 portugueses vítimas deste tipo de cancro, “cujos sinais e sintomas são muitas vezes desvalorizados pelos doentes ou confundidos com os de outras doenças benignas.”

Os sintomas incluem “uma dor de garanta, uma rouquidão persistente ou uma ferida na boca” e, na referida nota, o GECCP sublinha a importância de consultar um médico, caso estes sinais durem mais do que 3 semanas.

“Anualmente, surgem cerca de 3.000 novos casos de cancro de cabeça e pescoço” e entre os principais fatores de risco está o tabagismo, o consumo de álcool e a infeção pelo Vírus do Papiloma Humano, estando este último responsável, cada vez mais, pelo aparecimento da doença na população mais jovem.

Ao longo desta semana, de forma a assinalar o Dia Mundial do Cancro de Cabeça e Pescoço, o Hospital Militar Rei Dom Pedro V estará a promover, com o apoio da GECCP e da Associação dos Amigos dos Doentes com Cancro Oral (ASADOCORAL), sessões de diagnóstico.

Citada em comunicado, Ana Castro, médica oncologista e Presidente do GECCP, afirma que “o Dia Mundial do Cancro de Cabeça e Pescoço foi criado há quatro anos pela Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço (IFHNOS) para sensibilizar a população mundial para as necessidades das pessoas que atravessaram o cancro de cabeça e pescoço. Em Portugal, é essencial diminuir o número de vítimas mortais deste tipo de cancro através de um esforço educativo para os fatores de risco e os sinais e sintomas que ajudam ao diagnóstico precoce.”

ler mais

RECENTES

ler mais