Investigações sobre Lúpus e Alzheimer são as vencedoras da bolsa D. Manuel Mello

Patrícia Costa Reis é premiada pelo projeto de investigação “Dieta, microbiota e permeabilidade intestinal no Lúpus” e Tiago Gil Oliveira pelo projeto “Determinantes da neuropatologia da doença de Alzheimer em ressonância magnética cerebral”.

Os investigadores Patrícia Costa Reis, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, e Tiago Gil Oliveira, da Escola de Medicina da Universidade do Minho, são os vencedores das edições 2021 e 2022, respetivamente, da bolsa D. Manuel Mello.

Segundo anunciou hoje a Fundação de Mello, este prémio, atribuído em parceria com a CUF, vai atribuir a cada investigador 50.000 euros para aplicarem nos seus projetos de investigação, um sobre lúpus e outro sobre Alzheimer.

Patrícia Costa Reis recebe o prémio de 2021 para desenvolver o projeto de investigação “Dieta, microbiota e permeabilidade intestinal no Lúpus”, que pretende avaliar a dieta, a atividade física, a composição corporal, a microbiota e a permeabilidade intestinal de doentes com Lúpus e comparar os resultados obtidos com os de pessoas saudáveis.

O Lúpus é uma doença autoimune, uma das 10 principais causas de morte não-traumática em mulheres jovens e associa-se a dor crónica, insucesso escolar, desemprego e menor qualidade de vida.

Ao investigador Tiago Gil Oliveira vai ser atribuída a bolsa relativa à edição de 2022 para o projeto “Determinantes da neuropatologia da doença de Alzheimer em ressonância magnética cerebral”, que pretende identificar novos métodos ao nível da ressonância magnética para um diagnóstico mais preciso da doença, comparativamente com outras doenças neurodegenerativas.

A doença de Alzheimer é a patologia neurodegenerativa mais prevalente a nível mundial. Clinicamente, caracteriza-se por défices cognitivos e ao nível da neuropatologia pela presença de acumulações de proteínas específicas no cérebro que se associam a atrofia de regiões cerebrais como o hipocampo, importante para a memória e aprendizagem.

Um dos grandes desafios do diagnóstico da doença de Alzheimer passa por identificar métodos e biomarcadores que revelem o grau de acumulação destas proteínas.

A Bolsa D. Manuel de Mello é uma bolsa de investigação anual instituída em 2007 pela Fundação Amélia de Mello, em parceria com a CUF, que se destina a premiar jovens médicos que desenvolvam projetos de investigação clínica, no âmbito das unidades de investigação e desenvolvimento das faculdades de medicina portuguesas.

LUSA

Notícia Relacionada

Lúpus. Descoberto biomarcador que permite agir atempadamente na evolução da doença no rim

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais