6 Ago, 2018

Fundação Portuguesa do Pulmão alerta para efeitos nefastos dos incêndios

A Fundação Portuguesa do Pulmão alertou hoje a população para os efeitos dos incêndios florestais na saúde respiratória, aconselhando várias medidas preventivas como permanecer o mais perto possível do solo, onde o calor e o fumo são menos intensos.

A organização de saúde explica, em comunicado, que os incêndios florestais são “acontecimentos com graves impactos para o meio ambiente e para a saúde respiratória das populações”, enviando para a atmosfera “milhões de toneladas de gases com efeito de estufa”.

Os seus efeitos nefastos atingem sobretudo os grupos mais vulneráveis, nomeadamente crianças, idosos, doentes cardiovasculares, pessoas que sofrem de doenças respiratórias e os que combatem os incêndios no terreno.

Na saúde respiratória, os seus efeitos são “muito penalizadores”, sendo causa de processos inflamatórios de toda a via aérea (faringe, laringe, traqueia e brônquios), de infeções brônquicas e pulmonares e descompensação de doenças respiratórias pré-existentes (asma, bronquiectasias, DPOC e outras), sendo especialmente penalizados os doentes com insuficiência respiratória crónica, refere a Fundação Portuguesa do Pulmão (FPP) em comunicado.

A FPP aconselha todos os que respiram o ar poluído dos incêndios florestais, mas sobretudo aqueles que sofrem de doenças respiratórias, a tomarem algumas atitudes preventivas, como abandonar a área onde se está a desenrolar o incêndio e evitar a inalação de fumo, utilizando uma máscara ou um lenço humedecido.

Não deixar o fumo entrar na habitação, fechando as janelas e calafetando as frinchas, evitar permanecer ao ar livre, reduzir a atividade física e beber líquidos, não fumar dentro de casa, não acender velas nem qualquer aparelho que funcione a gás ou a lenha, não usar tintas, vernizes, detergentes ou desinfetantes, são outros conselhos da organização.

Se a pessoas tiver ar condicionado deve colocar a opção de recirculação de ar, evitando deste modo que o ar exterior entre dentro de casa, e se tiver de atravessar de carro uma zona com fumo, deve manter as janelas e os ventiladores fechados, e ligar o ar condicionado se o carro o tiver.

Recomenda ainda às pessoas que estiverem sob tratamento respiratório para cumprirem rigorosamente o esquema que lhe foi proposto pelo seu médico, sem esquecer a eventual medicação SOS.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais