8 Ago, 2018,

Estudo revela que pílula aumenta o risco de diabetes depois da menopausa

Risco de aparecimento de diabetes aumenta 35% nos casos em que as mulheres tomaram a pílula por mais de seis meses.

O uso de contraceptivos orais durante a idade reprodutiva aumenta a prevalência de resistência à insulina e de diabetes entre as mulheres após a menopausa, revelou o primeiro estudo desta natureza, conduzido na Coreia do Sul. O uso da pílula por um período superior a seis meses aumenta em 35% o risco de diabetes.

“O estudo apresentado mostrou uma associação definitiva entre o uso de contraceptivos orais durante a idade reprodutiva e o aumento da prevalência de diabetes entre as mulheres após a menopausa, especialmente entre aquelas que usaram este método por mais de seis meses”, revela o Dr. Sung-Woo Kim, do Daegu Catholic University Hospital. Mesmo entre as mulheres sem diabetes, “o uso de contraceptivos orais foi associado, de forma significativa, a maiores índices de resistência à insulina”.

Contudo, estudos anteriores mostram que não existe uma relação direta entre o uso de contracetivos orais, nomeadamente a pílula, e o aparecimento de diabetes. O Dr. Sung-Woo Kim contrapõe que o diabetes decorrente da resistência à insulina leva algum muito tempo a instalar-se, sendo “portanto, necessário um longo período de observação”. O médico, que apresentou o estudo as sessões científicas de 2018 da American Diabetes Association, diz que os dois estudos anteriores – de grande escala e com mulheres relativamente jovens (que ainda não tinham chegado à menopausa) – analisaram um período de tempo limitado.

Quanto a este estudo, foram obtidas informações sobre o tempo de uso dos contraceptivos orais, idade no início da menopausa e no momento do diagnóstico de diabetes, bem como sobre terapia de reposição hormonal, hipertensão arterial sistémica, hiperlipidemia, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas e prática de atividade física. O estudo envolveu 6554 mulheres após a menopausa, com cerca de 65 anos. Destas, 849 tinham de diabetes e usaram contraceptivos orais por mais de seis meses, enquanto 409 tinham diabetes, mas tomaram a pílula por menos de seis meses.

Dentre as mulheres que usaram contraceptivos orais por mais de seis meses, 19,4% tinham diabetes. Essa percentagem caiu para 14,4% dentre as que usaram contraceptivos orais por menos de seis meses, em comparação com 14,3% do grupo de referência que nunca tomou pílula.

Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais