2 Out, 2019

Construção da ala pediátrica do hospital São João no Porto começou

Contando com um investimento na ordem dos 25 milhões de euros, prevê-se que as instalações possam ser utilizadas na sua totalidade no primeiro semestre de 2021.

A obra do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ) arrancou esta terça-feira com a instalação do estaleiro e deverá estar concluída dentro de 18 meses, anunciou a unidade de saúde.

Congratulando-se com o começo da empreitada, o hospital refere estar a cumprir os prazos previstos e divulgados publicamente.

“Trata-se de um momento crucial no percurso do Centro Hospitalar Universitário de São João que dará uma resposta de qualidade às crianças e jovens da região Norte”, salienta.

A ala pediátrica, que ficará integrada no edifício principal, terá cinco pisos e mais dois subterrâneos, com cerca de 12 mil m2 de área bruta de construção, e terá capacidade para 98 camas.

O novo espaço, com um investimento associado na ordem dos 25 milhões de euros, acolherá várias especialidades, incluindo a pediatria, neonatologia, medicina intensiva pediátrica, oncologia pediátrica, cardiologia pediátrica, cirurgia pediátrica e a primeira unidade de queimados pediátricos do Norte. Em comunicado enviado às redações, o hospital estima que aquela unidade deverá estar pronta para a atividade clínica no primeiro semestre de 2021.

Em 30 de agosto, a ministra da Saúde, Marta Temido, congratulava-se no Porto com o cumprimento do calendário estabelecido em outubro de 2018 para a construção da ala pediátrica, empreitada orçada em cerca de 25 milhões de euros que deverá ficar concluída em 2021.

A governante falava na assinatura do contrato para a construção da obra, entre o CHUSJ e a Casais – Engenharia e construção, selecionada de um conjunto de 14 empresas convidadas.

Dada a urgência da construção da ala pediátrica, a Lei do Orçamento do Estado para 2019 autoriza o CHUSJ a recorrer ao procedimento de ajuste direto na contratação da empreitada.

Há 10 anos que o hospital tem um projeto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço era prestado em contentores.

No início de julho, o CHUSJ anunciou o fim do internamento de crianças em 36 contentores e referiu que estas estruturas, provisórias há cerca de 10 anos, seriam desmontadas.

EQ/Lusa

ler mais

RECENTES

ler mais