Campanha Fsst, Fsst, Fsst alerta para o problema da ejaculação precoce

A definição de ‘ejaculação precoce’ é interpretada pela Sociedade Internacional de Medicina Sexual como a ejaculação que ocorre em ‘menos de um minuto’. É uma condição que afeta homens com idades entre os 18 e os 60 anos, sendo mais comum do que a disfunção erétil. Uma pesquisa realizada pelo estudo PEPA, por exemplo, mostrou que apenas 9% dos homens com ejaculação precoce consultavam um médico.

A ejaculação precoce (EP) é a forma mais comum de disfunção sexual sentida pelos homens, sendo que cerca de 30% da população masculina, já sentiu e experienciou, em algum momento das suas vidas, alguns dos seus sintomas e onde alguns estudos reclamam que pode atingir uma percentagem tão elevada como 75%. Tal facto pode provocar sentimentos de impotência, de falha de desempenho no homem, ou de satisfação sexual da parceira, mas a verdade é que a ejaculação precoce tem agora uma solução ao alcance de todos aqueles que pretendem tornar a sua performance sexual mais completa e duradoura.

A definição de ‘ejaculação precoce’ é interpretada pela Sociedade Internacional de Medicina Sexual como a ejaculação que ocorre em ‘menos de um minuto’, sendo uma condição que – apesar de depender igualmente de fatores tanto biológicos como fisiológicos – afeta homens com idades entre os 18 e os 60 anos, sendo mais comum do que a disfunção erétil. Fatores como a ansiedade, o stress, depressão, ou até mesmo cansaço físico, podem interferir com o desempenho sexual, assim como fatores físicos e intrínsecos à condição de cada um, onde causas genéticas e hormonais podem entrar em linha de conta quando se aborda o problema da ejaculação precoce.

Apesar de a ejaculação precoce produzir sérios efeitos sobre o bem-estar psicológico e a qualidade de vida geral do paciente e do seu parceiro, apenas uma minoria de homens procura ajuda profissional. A pesquisa realizada pelo estudo PEPA (Premature Ejaculation Prevalence and Attitudes), por exemplo, mostrou que apenas 9% dos homens com ejaculação precoce consultavam um médico. A vergonha e a crença de que não existe um tratamento efetivo disponível são os principais motivos para não discutirem a ejaculação precoce com o seu médico.

 

 

A mais recente campanha “Fsst, Fsst, Fsst. Contra a Ejaculação Precoce”, tem como objetivo alertar para um dos problemas sexuais masculinos mais comuns e com maior prevalência que a disfunção erétil, afetando até 600 milhões de homens em todo o mundo. Uma problemática com algum significado para a saúde e qualidade de vida global dos homens e seus parceiros. A campanha prevê contribuir para o esclarecimento de questões associadas à patologia tendo sido desenvolvido para o efeito o website www.aguentamaistempo.pt.

Todos os tratamentos que estejam disponíveis e que ofereçam facilidade, simplicidade e rapidez nos resultados obtidos com um efeito durável ao longo do tempo vêm ajudar a quebrarem o ciclo vicioso da Ejaculação Precoce.

Até ao momento, entre os tratamentos disponíveis existem a terapia sexual, o uso de alguns medicamentos e a psicoterapia. Para alguns casos, a combinação desses tratamentos pode funcionar melhor. No que se refere a soluções medicamentosas, podemos estar a falar desde antidepressivos, entre eles um grupo chamados inibidores selectivos de recaptação de serotonina (ISRS), os cremes anestésicos locais (não aprovados para esta indicação), entre outras soluções.

Recentemente, alguns estudos clínicos com uma duração máxima de nove meses, mostraram que a utilização de anestésicos tópicos de baixas dosagens numa solução de pulverização tópica reduziu a sensibilidade na extremidade do pénis –e contribuiu para que a relação sexual tenha prolongado o tempo de desempenho.

O sistema de distribuição de pulverização de dose medida permite que os agentes sejam depositados numa película na glande do pénis, reduzindo assim a sua sensibilidade. Isso é traduzido num atraso temporal de latência ejaculatória sem afetar negativamente a sensação de ejaculação e prazer sexual. A eficácia e elevada tolerabilidade da referida solução de pulverização tópica foram comprovadas por meio da latência, controlo e satisfação sexual ejaculatória aumentada em estudos de larga escala, demonstrando os benefícios significativos tanto para pacientes como para as suas parceiras.

COMUNICADO

ler mais

RECENTES

ler mais