9 Nov, 2022

“O internista desempenha um papel crucial no diagnóstico da ATTR-CM devido às suas manifestações sistémicas”

De acordo com a especialista de Medicina Interna do Centro Hospitalar Universitário do Porto, os doentes com ATTR-CM devem ser acompanhados nas clínicas de IC, pela necessidade de uma abordagem multidisciplinar.

Quando suspeitar de ATTR-CM? Quais os principais sintomas e as red flags a que os médicos, nomeadamente os internistas, devem estar atentos?

As situações em que podemos equacionar que o doente que está à nossa frente possa ter uma miocardiopatia amiloide são as de doentes com IC (sobretudo idosos com FEp); doentes que têm alterações do ritmo e pacemakers, muitas vezes mais jovens, e em que nós não conseguimos compreender qual é a doença de base, porque não apresentam alterações estruturais significativas no ecocardiograma; doentes com estenose aórtica; doentes que nos aparecem com HVE de etiologia não esclarecida, que nem são hipertensos ou, se o são, até estão bem controlados e não conseguimos perceber muito bem o porquê da HVE; e ainda os doentes com síndrome do túnel cárpico que está muitas vezes associado à miocardiopatia amiloide e à amiloidose sistémica, sobretudo no doente que já tem síndrome do túnel cárpico é bilateral, devemos suspeitar de ATTR-CM no caso de apresentar patologia cardíaca ou manifestações cardíacas, obviamente.

Como classifica o papel da Medicina Interna no diagnóstico destes doentes?

A Medicina Interna acolhe muitos doentes, vindos dos cuidados de saúde primários, do serviço de urgência ou de outras consultas hospitalares e, portanto, é um ponto de contacto frequente com todos os doentes, sobretudo os idosos – a população mais comum no que respeita à ATTR-CM. O internista é um ponto de contacto muito importante e desempenha um papel crucial no diagnóstico da ATTR-CM devido às suas manifestações sistémicas.

Igualmente crucial é a abordagem multidisciplinar destes doentes…

Sem dúvida. São doentes que, muitas vezes, já têm doença renal ou FA, que já foram vistos pela Cardiologia e que precisam de ser tratados por vários especialistas médicos, bem como por outros profissionais de saúde. São doentes que devem ser integrados em clínicas de IC – uma vez que esta é a manifestação mais frequente – onde têm educação dada por profissionais de enfermagem, bem como apoio do serviço social e da nutrição, entre outras valências.

 

PP-VYN-PRT-0839
Data de preparação: outubro de 2022
PUB
Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Print Friendly, PDF & Email
ler mais