21 Set, 2016

“Verdes” querem respostas da Câmara de Lisboa relativamente às fibras de amianto detetadas nas escolas da cidade

O PEV recorda que a utilização de amianto em Portugal está proibida desde 1994, apesar de persistir o problema relacionado com os edifícios construídos antes da proibição

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) quer saber o que é que a Câmara de Lisboa tem sido feito relativamente às fibras de amianto detetadas nas escolas da cidade, lembrando que estas podem constituir perigo para a saúde pública.

“Quantas escolas da cidade de Lisboa, tuteladas pela CML [Câmara Municipal de Lisboa], têm amianto no início do presente ano letivo? Quantas intervenções foram realizadas no sentido da remoção do amianto nas escolas ao longo do último ano? Quantas intervenções nesse sentido estão ainda previstas realizar e qual a calendarização para essas intervenções?”, questionou o partido, num requerimento a que a Lusa teve acesso.

Em julho, a Câmara Municipal de Lisboa fez um balanço da retirada de amianto das coberturas em edifícios da cidade, apontando que, das 42 localizações identificadas, cinco estavam concluídas e as restantes estavam em concurso, projeto ou adjudicação.

Durante uma sessão de perguntas à Câmara, na Assembleia Municipal de Lisboa (AML), o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, afirmou que “em outubro de 2014 foi feito um levantamento exaustivo de todos os edifícios com coberturas de amianto”, no qual foram “identificadas 42 localizações”.

Nessa altura, das 14 escolas com esta problemática, estavam duas concluídas, duas em obra e outras duas em preparação.

O início das intervenções em outros seis estabelecimentos escolares foi, na altura, apontado para breve.

 

ler mais

RECENTES

ler mais