1 Fev, 2017

Utentes protestam contra falta de médicos em Algueirão-Mem Martins

A Comissão de Utentes da Saúde do Concelho de Sintra (CUSCS) organizou, hoje de manhã, mais uma vigília em protesto pela falta de médicos de família no centro de saúde de Algueirão-Mem Martins

A Comissão de Utentes da Saúde do Concelho de Sintra (CUSCS) organizou, hoje de manhã, mais uma vigília em protesto pela falta de médicos de família no centro de saúde de Algueirão-Mem Martins.

“O centro de saúde de Algueirão-Mem Martins continua a ser aquele no concelho de Sintra em que as pessoas se queixam de ter menos médicos de família”, afirmou à Lusa Paula Borges, da CUSCS.

A vigília, que decorreu a partir das 07:30, pretendeu denunciar o “agravamento continuado e deliberado das condições de acesso ao Serviço Nacional de Saúde”, com “cerca de 200 pessoas” à espera em duas filas para marcar consulta, salientou a porta-voz da comissão.

“Até abrirem as portas [às 08:00], as pessoas estão debaixo das arcadas dos prédios ao frio e à chuva”, notou Paula Borges.

Segundo a representante, a unidade de saúde, que funciona num prédio de habitação, em Mem Martins, e dos 12 médicos atualmente ao serviço, quatro médicos não estão a dar consultas por estes dias.

“A somar aos 11 médicos que, pelas nossas contas estão em falta, percebe-se o número de utentes que ficam nesta freguesia sem acesso a cuidados de saúde primários”, apontou.

A assessoria de comunicação da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo disse hoje à Lusa que na unidade de Algueirão-Mem Martins, “atendendo ao número de utentes frequentadores sem médico de família, serão necessários mais oito médicos”.

Esta unidade de saúde “tem 52.869 utentes inscritos [e], destes, 39.233 são utentes frequentadores”, acrescentou a ARS.

Num inquérito aos utentes que se encontravam à espera junto da unidade de saúde, alguns referiram que há quem chegue “às quatro da manhã” para assegurar consulta e “cerca de 90% não tem médico de família”, referiu a porta-voz da CUSCS.

“As pessoas consideram em larguíssima maioria que é muito importante a construção de um hospital público em Sintra”, frisou Paula Borges.

A Câmara de Sintra contratualizou com a ARS a construção de cinco centros de saúde, incluindo para Algueirão-Mem Martins, e está a negociar um novo polo hospitalar na zona da Cavaleira (Algueirão).

“A situação não se resolve