3 Mar, 2017

Urgência Básica de S. Pedro do Sul com falta de médicos

A denúncia partiu da comissão política local do PSD, que refere que não é a primeira vez que a urgência básica do centro de saúde de S. Pedro do Sul se encontra nesta situação

A concelhia do PSD de S. Pedro do Sul denunciou que o serviço de urgência básica do centro de saúde da cidade esteve sem médicos de serviço durante toda a tarde de quarta-feira.

“Tivemos conhecimento que o Serviço de Urgência Básica, do Centro de Saúde de S. Pedro do Sul, esteve, uma vez mais, sem médicos ao serviço durante toda a tarde do dia 1 de março”, refere.

A comissão política local do PSD realça que a situação se tem vindo a repetir de forma frequente e demonstra “um total desrespeito e negligência por parte deste Governo, especificamente do Ministério da Saúde, para com as pessoas em situação de emergência que recorrem a este serviço”, colocando em causa as necessidades básicas da população.

Os sociais-democratas afirmam que, na primeira vez que aconteceu, os responsáveis da saúde distrital garantiram resolver a situação a partir de janeiro.

“Todos sabemos bem da luta que foi desencadeada pela anterior Câmara, na pessoa do seu presidente António Carlos Figueiredo, para trazer este serviço para S. Pedro do Sul, quando o mesmo já tinha sido prometido a Vouzela”, evidenciam.

A concelhia do PSD de S. Pedro do Sul lamenta ainda que, “depois dessa grande conquista”, “nem o Governo nem a atual Câmara tenham o elementar cuidado e firmeza para garantirem médicos nas urgências como serviço fundamental a toda a comunidade”.

“Denunciamos igualmente a incapacidade desta Câmara e do Governo pela inexistência, vai para dois anos, da chegada de uma ambulância com suporte imediato de vida que muito contribuiria para dar mais confiança à nossa população”, destacam.

O presidente da Câmara de S. Pedro do Sul, Vítor Figueiredo, informou ter questionado o diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Dão-Lafões e o presidente da ARS Centro sobre o problema da falta de médicos.

“Disseram que fariam todas as iniciativas para tentar resolver o problema o mais rápido possível. A verdade é que a competência para resolver esta situação será deles e não da Câmara Municipal”, frisou.

No seu entender, este assunto “é um não facto que o PSD de S. Pedro do Sul, que anda à deriva, encontrou para fazer sair com comunicados”.

“Nesta altura, em que se começa a falar em eleições e em que o seu candidato ainda não é conhecido, é uma forma de tentarem chamar alguns à berlinda”, sustentou.

Em comunicado, o Município de S. Pedro do Sul informou ainda que, em reunião do executivo de 23 de fevereiro, foi aprovada a proposta apresentada pelo executivo para o financiamento das obras de adaptação no edifício do Centro de Saúde de S. Pedro do Sul para colocação da ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV).

No documento lê-se ainda que o Município de S. Pedro do Sul deliberou suportar o custo das obras para que “a colocação da ambulância SIV seja mais célere”, depois da ARS Centro ter revelado ausência de capacidade e disponibilidade imediata.

LUSA/SO

 

Gedeon Richter

ler mais

RECENTES

ler mais