13 Dez, 2017

Unidade de doentes da Raríssimas continua a cumprir serviços aos utentes

Em comunicado, a direção da Casa dos Marcos afirma que continua a trabalhar e a cumprir os serviços aos utentes, demarcando-se de qualquer atitude ilícita que tenha sido praticada.

O conselho diretivo e a coordenação da Casa dos Marcos refere, em nome dos trabalhadores, que tem orgulho de trabalhar “numa instituição que prossegue uma das missões mais nobres de uma sociedade, ou seja, a atenção e o cuidado devidos a quem não pode cuidar de si próprio e vive numa permanente situação de necessidade”.

“Neste momento é nosso dever transmitir que nos mantemos, como até agora, a cumprir as nossas funções e que não estão em causa quaisquer serviços prestados na Casa dos Marcos. Antes de mais, demarcamo-nos de toda e qualquer atitude menos ética ou ilícita que tenha sido praticada em nome da instituição, seja pela ex-presidente ou por qualquer membro da direção, e reafirmamos a lealdade, apenas e só, à causa para a qual trabalhamos”, refere a nota.

“Importa que, inequivocamente, os nossos parceiros, mecenas, pais e cuidadores estejam cientes do nosso propósito e que, connosco, prossigam a nossa missão de forma cada vez mais assertiva e com o máximo rigor”, acrescenta o comunicado. Segundo Manuela Duarte Neves, trabalham na Casa dos Marcos cerca de 150 pessoas.

A Casa dos Marcos tem um conselho diretivo próprio, que é composto por quatro elementos, sendo um deles a presidente da Raríssimas, a única que não subscreveu este comunicado agora divulgado, explicou Manuel Duarte Neves.

LUSA/SO

ler mais

RECENTES

ler mais