27 Out, 2017

Um em cada 15 portugueses com mais de 80 anos sofre de estenose aórtica

O alerta é da Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) à margem das comemorações do Dia Mundial da Terceira Idade, que se assinala amanhã.

A estenose aórtica é uma doença que afeta 32 mil portugueses, maioritariamente pessoas acima dos 80 anos, limitando as suas capacidades e qualidade de vida. Frequentemente, os seus sintomas (cansaço, dor no peito e desmaios) não são valorizados pelas famílias portuguesas e o diagnóstico acaba por ser adiado, o que pode ser fatal.

“É importante sensibilizar a população para a valorização dos sintomas desta doença, principalmente o cansaço que é muito comum associar-se à terceira idade, de forma a que se possa fazer um diagnóstico precoce e encaminhar para um tratamento o mais rapidamente possível”, alerta João Brum Silveira, presidente da APIC.

“Cada vez mais o tratamento desta doença passa pelo implante de uma nova válvula cardíaca, através de um cateter introduzido por uma artéria (geralmente na virilha), sem necessidade de parar o coração. Esta técnica minimamente invasiva é, para muitos especialistas, o grande avanço da cardiologia dos últimos 20 anos. Tem inúmeras vantagens em relação à cirurgia de peito aberto (cirurgia convencional) e diminui os riscos relacionados com o tratamento. Atualmente existem 5 centros públicos e 6 centros privados de Hemodinâmica, em Portugal, com capacidade para a realização deste procedimento médico”, explica Rui Campante Teles, Coordenador da campanha Valve For Life.

A aorta é a principal artéria do nosso corpo que transporta sangue para fora do coração. Quando o sangue sai do coração flui da válvula aórtica para a artéria aorta. A válvula aórtica tem como função evitar que o sangue bombeado pelo coração não volte para trás. Na presença de estenose, a válvula aórtica não abre completamente, vai ficando cada vez mais estreita e isso diminui o fluxo sanguíneo do coração. Se não for detetada atempadamente esta doença pode ter um desfecho letal. O diagnóstico da estenose aórtica pode ser confirmado com recurso à auscultação, ecocardiografia com doppler, seguindo-se muitas vezes um cateterismo cardíaco para completar o estudo.

Comunicado/SO

 

ler mais

RECENTES

ler mais