Terapeutas ocupacionais celebram 100 anos da profissão

A Associação Portuguesa de Terapeutas Ocupacionais (APTO) celebra hoje os 100 anos da profissão, mas relembra que em Portugal ainda há um longo caminho a percorrer, nomeadamente para a criação de uma ordem profissional.

No mesmo dia em que se assinala o dia mundial da terapia ocupacional, a presidente da associação, Elisabete Roldão, elogia a evolução de uma área que, apesar de tudo, ainda é muitas vezes “mal interpretada e mal utilizada”. A profissão que completa agora 100 anos só chegou a Portugal na década de 1960, altura em que foi criada a APTO, conta a terapeuta, lembrando que no início não existia sequer um curso superior de terapia ocupacional.

“Mudou muita coisa num século, seja a nível do ensino, dos equipamentos ou da integração”, explica Elisabete Roldão, que elogia também o facto de estes profissionais estarem hoje presentes em quase todas as instituições de saúde.

A presidente da associação ressalva, porém, que os terapeutas, que trabalham para ultrapassar as dificuldades dos pacientes, têm algumas eles próprios, nomeadamente no que diz respeito à revisão da carreira e à regulamentação da profissão.

Para Elisabete Roldão, não existir uma ordem profissional representa um obstáculo importante à representação dos terapeutas junto do executivo, que os impede de contribuir para a evolução da profissão e para a criação de melhores condições de trabalho que, em última análise, se traduzem na “melhoria da qualidade de vida dos portugueses”.

A criação de uma ordem de terapeutas ocupacionais é, segundo a presidente da associação, o próximo grande objetivo, que ganhou ímpeto com a aprovação em Assembleia da República da Ordem dos Fisioterapeutas. Os terapeutas ocupacionais são profissionais de saúde que atuam ao nível do desempenho ocupacional, ajudando as pessoas a ultrapassar quaisquer dificuldades na realização das atividades do dia-a-dia.

Para celebrar os 100 anos e o dia mundial da terapia ocupacional, a APTO organiza hoje, em Lisboa, uma gala que pretende relembrar a evolução da profissão e sensibilizar para a importância desta área da saúde.

LUSA/SO/SF

Gedeon Richter

 

ler mais

RECENTES

ler mais