15 Fev, 2017

Reforço de cuidados primários beneficia 900 mil timorenses

Como balanço dos primeiros dois anos de mandato, o Governo lançou o Pacote Compreensivo de Cuidados de Saúde Primários e o Programa de Saúde na Família com quase 150 mil visitas domiciliárias

O reforço dos cuidados de saúde primários em Timor-Leste permitiu que mais de 900 mil pessoas tivesses visitas médicas domiciliárias nos últimos dois anos, anunciou o Governo timorense.

Segundo dados fornecidos à Lusa pelo Governo timorense, em jeito de balanço dos primeiros dois anos de mandato, que se cumprem na quinta-feira, foi lançado o Pacote Compreensivo de Cuidados de Saúde Primários e o Programa de Saúde na Família com quase 150 mil visitas domiciliárias, beneficiando mais de 180 mil famílias.

Mais de meio milhão de crianças foram vacinadas contra a pólio (96% das crianças até 15 anos) e 484 mil contra o sarampo e a rubéola (quase 97%), tendo 71% das crianças com menos de um ano tomado todas as vacinas recomendadas.

Mais de 60% das pessoas com mais de 60 anos receberam uma visita de profissional de saúde, sendo a taxa de mortalidade em emergência médica sido de cerca de 40 por 1000 pacientes.

Foram construídos 57 postos de saúde, reabilitados 22 centros de saúde (do total de 68) e inaugurado o novo hospital de Baucau, a segunda cidade do país, que tem atualmente 227 funcionários, incluindo 25 médicos e especialistas, 98 enfermeiros e 22 parteiras.

Segundo o Governo, no setor educativo, foram elaborados os novos currículos do 1.º ciclo do ensino básico – estão em conclusão os do 2.º ciclo – tendo sido impressos e comprados quase um milhão de manuais e materiais didáticos para os diversos níveis de ensino.

O programa de merenda escolar abrangeu quase 3315 mil alunos em 1.505 escolas, tendo sido ampliada a rede dos Centros de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE), abrangendo 5.880 alunos e 95 jovens recém-licenciados com o apoio de 129 professores portugueses e 88 timorenses.

O executivo destacou ainda a aprovação histórica do Regime Geral da Segurança Social, com um orçamento de quase 27 milhões de dólares para este ano.

O Governo prestou apoio social a mais de 400 de menores em situação de risco e vítimas de abuso, apoiou cerca de 96.000 beneficiários (idosos e inválidos), distribuiu bolsas de estudo a mais de 200 “filhos de mártires” e beneficiou cerca de 54.000 pessoas por ano com a Bolsa da Mãe.

Anualmente, pagou mais de 27.700 pensões de sobrevivência no valor de cerca de 26 milhões de dólares aos combatentes da libertação nacional e aos mártires.

LUSA/SO

 

Gedeon Richter

ler mais

RECENTES

ler mais