Quase dois milhões de utentes têm médico de família na região Centro

A região Centro possui 1,72 milhões de pessoas com médico de família, o que equivale a 98% do total de utentes inscritos nas unidades de cuidados de saúde primários

Em comunicado, a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) sustenta que o aumento do número de utentes com médico de família decorre do investimento realizado “na área dos recursos humanos durante 2016 e 2017” que se refletiu, igualmente, no total de consultas realizadas, que também aumentou.

“Com um total de 983 médicos de Medicina Geral e Familiar, as unidades de saúde têm vindo a realizar mais consultas: perto de seis milhões em 2016, o que representou um crescimento de 3% relativamente ao ano anterior”, adianta.

Na nota, o presidente da ARSC, José Tereso, afirma que no Serviço Nacional de Saúde os cuidados de saúde primários “são, por definição, o suporte de proximidade do cidadão” e, deste modo, “justificam a atenção permanente da administração, com um investimento a nível de recursos humanos, da requalificação de instalações e reorganização”.

“A ARSC, no seguimento e implementação das medidas constantes do programa do Governo para a Saúde, prosseguirá focada na melhoria contínua dos cuidados de saúde primários na região Centro no sentido de garantir serviços eficazes, que apoiem o cidadão e zelem pela sua própria saúde”, sublinha José Tereso.

Ao nível das infraestruturas, a ARSC diz estar a prosseguir em 2017 “em estreita colaboração com as câmaras municipais da região” com a realização de obras de construção, remodelação e ampliação de instalações na área dos cuidados de saúde primários, num investimento superior a 4,6 milhões de euros.

Adianta, por outro lado, que existem “vários projetos” em execução com finalização agendada para os próximos dois anos, “ascendendo a mais de 10 milhões de euros” de investimento.

Em 2016, lembra a administração regional, a entrada em funcionamento de três novos centros de saúde e quatro unidades de saúde configuraram um “significativo reforço na acessibilidade dos utentes a melhores cuidados de saúde primários na região Centro, num investimento superior a cinco milhões de euros”.

Ainda de acordo com a ARSC, em 2017 iniciaram a atividade três novas unidades de saúde familiar (USF), “o que elevou para cerca de 700 mil o número de utentes inscritos em USF na região”, estando prevista, até final do ano, a abertura de outras cinco.

Já as Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) – instaladas nos centros de saúde, servindo o município onde se inserem e desenvolvendo “uma atividade em proximidade com a comunidade no âmbito da prevenção da doença e da educação para a saúde” – são atualmente 56 e asseguram “a cobertura de mais de 1,5 milhões de habitantes, cerca de 88% da população da região Centro”.

Até final de 2017, deverão entrar em funcionamento mais três UCC, acrescenta a ARSC.

LUSA/SO/SF

 

Gedeon Richter

 

ler mais

RECENTES

ler mais