30 Ago, 2017

Projeto Pimpolho leva crianças ao hospital para rastrear “olho preguiçoso”

O Projeto Pimpolho pretende despistar a ambliopia a todas as crianças de Braga, que frequentam estabelecimentos de ensino público ou privado, com idades compreendidas entre os 3 e 4 anos – idade em que esta patologia pode ser revertida

Como resultado de uma parceria entre o Hospital de Braga e a Câmara Municipal de Braga, o projeto Pimpolho nasceu em 2014. Neste momento, a iniciativa abrange seis concelhos: Amares, Braga, Póvoa do Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde.

O projeto Pimpolho proporciona às crianças entre os 3 e os 4 anos – idade em que esta patologia pode ser revertida –  o acesso ao hospital em ambiente descontraído, como se de um passeio escolar se tratasse. A deslocação das crianças ao Hospital de Braga é realizada pelas seis Câmaras Municipais envolvidas em colaboração com as escolas.

As crianças são, deste modo, observadas e tratadas em tempo útil por um médico oftalmologista e um técnico ortoptista nas instalações do Serviço de Oftalmologia, através de um modelo centralizado que evita a replicação de custos, com acesso universal, combatendo as eventuais desigualdades socioeconómicas.

Este é o primeiro projeto em Portugal a rastrear a ambliopia, também conhecida como “olho preguiçoso”, através das boas práticas em saúde descritas na literatura científica internacional mais recente.

A ambliopia é uma doença exclusiva da infância e apenas tratável nesta faixa etária. O sucesso do tratamento da ambliopia pode atingir quase 100%. O não tratamento na idade pediátrica tem como consequências a cegueira, a baixa visão, ou a visão subnormal, não passível de ser corrigida para o resto da vida, isto é, mesmo com posteriores cirurgias, correção ótica ou outros tratamentos, essa criança ficará para sempre sem visão normal.

Veja aqui o vídeo

 

SO/SF

 

ler mais

RECENTES

ler mais