Pode o consumo de marijuana aumentar vulnerabilidade à doença de Alzheimer?

Um novo estudo adverte que o consumo de marijuana pode de facto aumentar a suscetibilidade à doença de Alzheimer. O alerta surge após os investigadores terem descoberto que a substância reduz significativamente o fluxo sanguíneo numa área do cérebro afetada pela doença

Um novo estudo adverte que o consumo de marijuana pode de facto aumentar a suscetibilidade à doença de Alzheimer. O alerta surge após os investigadores terem descoberto que a substância reduz significativamente o fluxo sanguíneo numa área do cérebro afetada pela doença.

Publicado no conceituado Journal of Alzheimer’s Disease, o estudo revela que consumidores com padrões problemáticos de consumo de marijuana apresentaram uma redução acentuada do fluxo sanguíneo em quase todas as áreas do cérebro, comparativamente com não utilizadores da substância.

Mais: a equipa de investigadores, da qual fez parte a co-autora do estudo, Elisabeth Jorandby, da Amen Clinic, Califórnia – descobriu que foi no hipocampo que se registou a maior redução no fluxo sanguíneo em indivíduos com consumo excessivo de marijuana. Ora, o hipocampo é a região do cérebro associada à aprendizagem e à memória e é a primeira região a ser afetada em indivíduos com a doença de Alzheimer.

Nos Estados Unidos, o consumo de marijuana encontra-se em processo de legalização em alguns estados para uso recreativo e/ou medicinal.
Uma realidade que leva a que os cientistas considerem que é urgente entender melhor os possíveis danos resultantes do consumo de marijuana, podendo a redução do fluxo sanguíneo cerebral ser um desses efeitos que importa prevenir.

Journal of Alzheimer’s Disease/SO

ler mais

RECENTES

ler mais